sicnot

Perfil

Mundo

Merkel quer endurecer sanções à Rússia na UE

A chanceler alemã, Angela Merkel, vai propor aos parceiros da União Europeia (UE) um endurecimento das sanções contra a Rússia pelo seu papel no conflito na Síria, informa hoje o diário Frankfurter Allgemeine Zeitung.


De acordo com a edição de domingo do matutino, Merkel abordará a questão na próxima cimeira de líderes do bloco comunitário, que se realiza quinta e sexta-feira.

Parte-se do princípio de que será difícil à chanceler recolher apoio a esta iniciativa, tanto pelos receios internos dos seus parceiros de coligação sociais-democratas, partido do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Frank-Walter Steinmeier, como pela previsível falta de consenso no seio da UE.

No entanto, propõe-se tentar e conta com o apoio do Presidente norte-americano, Barack Obama - indica o jornal -, disposto, por sua vez, a uma "enérgica reação" frente à Rússia se conseguir o apoio da UE nesta questão.

Estas informações seguem-se ao fracasso de sábado da tentativa de negociação impulsionada pelos Estados Unidos em Lausana (Suíça) para alcançar algum tipo de acordo que ponha fim à ofensiva sobre a castigada cidade síria de Alepo.

Washington convocou essa reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita, do Catar, do Egito, do Irão, do Iraque, da Jordânia e da Turquia, além da Rússia.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.