sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 50 pessoas morreram em Alepo nas últimas 24 horas

© Khalil Ashawi / Reuters

Pelo menos 50 pessoas foram mortas nas últimas 24 horas por bombardeamentos e disparos de artilharia nos bairros leste da cidade síria de Alepo, cercados pelo exército e controlados pela oposição, referiu o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSCH).

A ONG destacou que entre os mortos há pelo menos 18 menores e oito mulheres.

A artilharia governamental e aviões de guerra atacaram os distritos de Al Marye, Al Qataryi, Al Sukari, Bab al Nasr, Karam al Nazaha, Al Mashad, Al Sheij Fares, Masaken Hanano e Al Qatania, na zona leste da cidade.

A OSDH referiu que 20 pessoas perderam a vida apenas no distrito de Al Qataryi.

Antes, o porta-voz da Defesa civil de Alepo, Ibrahim Abu Leiz, tinha referido à agência noticiosa Efe que pelo menos 35 pessoas morreram e 70 ficaram feridas num bombardeamento à região de Al Awiyel, periferia oeste de Alepo.

Estes ataques coincidem com o anúncio hoje emitido pelo exército russo, sobre uma "pausa humanitária" de oito horas na quinta-feira em Alepo, e que deverão interromper os ataques aéreos.

Lusa

  • Condutora que atropelou peregrinos "internada compulsivamente"

    País

    A condutora do veículo que hoje atropelou seis peregrinos na Estrada Nacional 365, em Alcanena, apresentava problemas do foro psicológico e teve de ser internada compulsivamente. O atropelamento esta madrugada fez uma vítima mortal, um homem, e feriu cinco pessoas, uma das quais em estado grave.

  • Maduro deve ser reeleito em eleições contestadas pela oposição
    1:46

    Mundo

    Os venezuelanos elegem hoje o Presidente que deverá estar à frente do país até 2025. Há quatro candidatos, mas Nicolás Maduro é o favorito na corrida. A oposição apelou ao boicote e vários países da América e das Caraíbas, os EUA e a UE já avisaram que não reconhecerão resultados de uma eleição que não é livre nem transparente.

  • A solução de Elon Musk para os engarrafamentos em Los Angeles
    1:23