sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 50 pessoas morreram em Alepo nas últimas 24 horas

© Khalil Ashawi / Reuters

Pelo menos 50 pessoas foram mortas nas últimas 24 horas por bombardeamentos e disparos de artilharia nos bairros leste da cidade síria de Alepo, cercados pelo exército e controlados pela oposição, referiu o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSCH).

A ONG destacou que entre os mortos há pelo menos 18 menores e oito mulheres.

A artilharia governamental e aviões de guerra atacaram os distritos de Al Marye, Al Qataryi, Al Sukari, Bab al Nasr, Karam al Nazaha, Al Mashad, Al Sheij Fares, Masaken Hanano e Al Qatania, na zona leste da cidade.

A OSDH referiu que 20 pessoas perderam a vida apenas no distrito de Al Qataryi.

Antes, o porta-voz da Defesa civil de Alepo, Ibrahim Abu Leiz, tinha referido à agência noticiosa Efe que pelo menos 35 pessoas morreram e 70 ficaram feridas num bombardeamento à região de Al Awiyel, periferia oeste de Alepo.

Estes ataques coincidem com o anúncio hoje emitido pelo exército russo, sobre uma "pausa humanitária" de oito horas na quinta-feira em Alepo, e que deverão interromper os ataques aéreos.

Lusa

  • Filhos do ex-embaixador do Iraque acusados um ano e meio depois,
    2:51

    País

    O Ministério Público deduziu acusação contra Haider e Ridha, os filhos do antigo embaixador iraquiano em Portugal por tentativa de homicídio. Mas há dúvidas de que o julgamento se realize, uma vez que os agressores já não estão Portugal. Tudo aconteceu em agosto de 2016 em Ponte de Sor.

  • Investigação à tragédia de Pedrógão concluída
    1:10
  • Alternativas para vender a sua casa
    8:58