sicnot

Perfil

Mundo

Diário de Luaty Beirão chega a livro depois de sair da prisão escondido num jornal

O diário dos primeiros dias de prisão do luso-angolano Luaty Beirão vai chegar às bancas, em livro, devido à "astúcia" de colocar o original no interior de um jornal, contou o ativista, em entrevista à Lusa.

"Aproveitei uma visita e meti entre jornais que não podiam entrar. Voltaram para casa [os jornais], com o caderno lá dentro. Não quisemos correr o risco de fazer de outra forma, o resultado está aí, porque foram lá à cela e levaram o outro caderno, que agora não aparece", começa por explicar Luaty Beirão.

O ?rapper' foi um dos 17 ativistas condenados a penas de prisão pelo tribunal de Luanda, a 28 de março, por rebelião e associação de malfeitores, depois de ter já passado 06 meses em prisão preventiva, após a detenção a 20 de junho.

A publicação, recorda, resulta de um desafio da diretora editorial da Tinta-da-China, Bárbara Bulhosa, que prevê lançar o diário, em livro, no final de novembro.

O diário, de 100 páginas, retrata os primeiros 16 dias de prisão preventiva, até ao início de julho, quando o ativista e outros do mesmo grupo partilhavam espaço numa cadeia com cerca de 1.500 reclusos.

Ocupava então uma cela de dois por três metros, de onde por vezes nem podia sair para as refeições.

"Recordo que eram dias em que tinham uma sensação de tranquilidade, de que não valia a pena stressar. Vivíamos com pequenas conquistas, como o acesso à família, à comida de casa ou aos livros, e algumas perdas também", conta Luaty Beirão, que entre setembro e outubro de 2015 realizou uma greve de fome de 36 dias contra o excesso de prisão preventiva.

"Durante aqueles primeiros dias cheguei a ficar 47 horas trancado na cela, sem luz. Lembro-me de estar na altura tranquilo, embora em alguns momentos aborrecido com o que se estava a passar, mas geria-se. Estávamos mentalizados que íamos estar ali muito tempo", explica.

O diário que agora será publicado, afirma Luaty Beirão, "não é sequer um quinto do material estava nos restantes cadernos", que acabaram apreendidos pelos Serviços Penitenciários, já que tudo tinha de ser verificado, e no caso lido, à saída do estabelecimento prisional.

"Eu ia escrevendo e no íntimo se calhar achava que aquilo podia dar alguma coisa", admite.

Um dos cadernos do ?rapper' e ativista continha letras de músicas que foi escrevendo na cela, entre outros pensamos e relatos do dia-a-dia atrás das grades.

"São os meus direitos constitucionais que estão em causa. Não vou deixar isso barato, é a minha propriedade intelectual, por isso não vai ficar assim e quero que me devolvam os restantes diários", garante.

O diário do ativista de 34 anos, uma das vozes mais críticas do regime angolano liderado por José Eduardo dos Santos, contém, por exemplo, "listas do que ele precisava para comer, porque na prisão - e ele esteve em várias -, não aceitava nenhuma comida dada pelos guardas prisionais, por haver um grande risco de ser envenenado", revelou a editora.

Luaty Beirão e os restantes 16 ativistas deste processo foram libertados pelo Tribunal Supremo no final de junho, após recurso apresentado pela defesa.

Foram entretanto abrangidos pela amnistia presidencial para crimes - excluindo os de sangue - cometidos até 11 de novembro de 2015.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twitter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.