sicnot

Perfil

Mundo

Ligação à Internet de Assange foi cortada "por um país"

© Axel Schmidt / Reuters

A WikiLeaks acusa "um país" de ter cortado a ligação à Internet de Julian Assange, refugiado desde 2012 na embaixada do Equador em Londres.

Esta segunda-feira, a conta do Twitter da WikiLeaks publicou uma mensagem dizendo que "a ligação à Internet de Julian Assange foi cortada por um Estado. Já ativámos os planos de contingência adequados".

A WikiLeaks tem estado a divulgar documentos sobre Hillary Clinton e o Comité Democrata Nacional (DNC), em plena campanha para as eleições presidenciais norte-americanas. Os últimos que divulgou dizem respeito à troca de mails entre o conselheiro de Clinton, John Podesta.

A desconfiança sobre quem tem conseguido tais documentos para a WikiLeaks tem recaído sobre piratas informáticos russos, mas a ligação ainda não foi estabelecida.

Julian Assange está exilado na embaixada do Equador em Londres desde 2012 para evitar a extradição para a Suécia, onde é acusado de crimes de natureza sexual. Assange receia ser entregue aos Estados Unidos, que o querem julgar pela revelação de informações confidenciais.

O Wikileaks tem divulgado milhares de documentos, entre os quais arquivos sobre a prisão de Guantánamo, as guerras do Iraque e do Afeganistão e documentos diplomáticos dos Estados Unidos.

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.