sicnot

Perfil

Mundo

Pior que uma colonoscopia? A bebida de preparação

As barras têm sabor a limão, coco ou chocolate branco. As bebidas sabem a morango-banana, baunilha, frutos do bosque ou laranja.

A preparação para uma colonoscopia envolve a ingestão de uma bebida que é, no mínimo, horrível. Há mesmo quem não faça o exame só para não ter que a beber. Uma empresa norte-americana promete "apanhar os fugitivos" com uma alternativa.

É preciso limpar o cólon e o reto para o exame necessário à deteção de cancro colorretal, pelo que os pacientes têm de ingerir um líquido laxante, ultra-salgado e com péssimo sabor. Há pacientes que o evitam fazer por causa dos preparativos, mas este exame pode prevenir o desenvolvimento de 40% dos cancros colorretais, disse à CNN o professor de medicina da Universidade de Harvard, Douglas Rex.

"A preparação dos intestinos é uma das razões mais evocadas (pelos pacientes) para não fazer colonoscopia e isto é válido mesmo para aqueles que nunca a fizeram", afirmou o médico. Isto significa que a palavra se tem espalhado e que os preparativos para o exame têm de ser levados a sério, de modo a diminuir a incidência destes cancros.

A empresa norte-americana ColonaryConcepts decidiu avançar e está a desenvolver bebidas que se assemelham a batidos de fruta ou barras de cereais - mas ainda é necessária mais investigação para que estas alternativas sejam aprovadas.

Bebidas e barras contêm o mesmo ingrediente ativo laxante, presente na atual bebida - polyethylene glycol (PEG) 3350. Os resultados dos ensaios clínicos vão ser apresentados no encontro anual do Colégio de Gastrenterologistas Americanos na próxima semana.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.