sicnot

Perfil

Mundo

Quem vê caras não vê corações

Reuters

Um serviço de encontros amorosos japonês está a tentar provar que o visual não é tudo e exige aos clientes que usem máscaras cirúrgicas nas sessões de "speed dating". O objetivo é conhecer a personalidade do outro e valorizar menos o aspeto exterior.

"Para conseguir casar, é importante criar oportunidades de conhecer a personalidade e os valores do parceiro, na fase inicial do conhecimento. Escolhemos as máscaras cirúrgicas como ferramenta para isso", explica Kei Matsumura, do serviço de encontros DefAnniversary.

"Como não fui julgado pela minha aparência acho que consegui sair mais com mulheres", conta Yasumasu Kishiat, 28 anos, após um fim de semana de "speed dating" - encontros rápidos onde se conhecem cerca de 20 pessoas solteiras ou descomprometidas do sexo oposto.

Os serviços de encontros amorosos estão a crescer abruptamente no Japão. A taxa de casamentos baixou bastante nos últimos 40 anos, de acordo com uma investigação do Ministério da Saúde.

Criada na era digital, a população jovem adere facilmente aos serviços de encontros amorosos.

"Nestes encontros, a personalidade conta. Eu gosto disso", desabafa Chiharu Tsukahara, 28 anos, outra utilizadora do serviço.

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20