sicnot

Perfil

Mundo

Conselheiro com 96 anos do rei será o monarca regente na Tailândia

Conselheiro com 96 anos do rei será o monarca regente na Tailândia

A Tailândia vai ter um regente nomeado até que o rei seja cremado e o príncipe possa ser coroado, o que só acontecerá daqui a um ano. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro tailandês na televisão, onde confirmou que o príncipe quer suceder ao trono mais tarde, depois das formalidades religiosas e monárquicas e depois do convite do Parlamento.

Um ano de luto para o país e para a monarquia que na semana passada perdeu o rei há mais tempo no trono, no mundo.

O sucessor natural - o príncipe - já fez saber que quer fazer o luto com o povo e, por isso, só deve assumir o trono daqui a um ano. Até lá foi nomeado um regente: Prem Tinsulanonda, o chefe do Conselho Privado da Tailândia. O antigo chefe do Exército e conselheiro do rei Bhumibol - com 96 anos - vai tentar garantir a estabilidade do país, abalada pela morte do monarca e que já está a ter consequências na economia e na moeda tailandesa.

  • Milhares de pessoas prestam homenagem ao Rei da Tailândia
    1:04

    Mundo

    Milhares de pessoas continuam a deslocar-se a Banguecoque, para prestar homanagem ao rei da Tailândia. Bhumibol morreu na quinta-feira e o país continua de luto. Ainda não há data para a cremação, até lá o corpo vai ficar para ser venerado no Grande Palácio.

  • O polémico futuro rei da Tailândia

    Mundo

    No poder há 70 anos, o rei Bhumibol Adulyadej era adorado pelos tailandeses. A sua morte arrasou a Tailândia, deixando o país perante um futuro de incertezas. Na sucessão ao trono está o filho mais velho, Maha Vajiralongkorn. A questão que fica é apenas uma: quem é realmente o herdeiro ao trono tailandês? Por entre casamentos falhados e um cão condecorado, conheça aqui o possível futuro rei da Tailândia.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite