sicnot

Perfil

Mundo

Multas para estendais de roupa e tapetes nas ruas de Damasco

© Bassam Khabieh / Reuters

A guerra, que dura há cinco anos na Síria, não impede os autarcas de Damasco de se preocuparem com a estética da capital. A edilidade aumentou drasticamente as multas para quem pendura a roupa em estendais na rua ou coloca tapetes nas varandas.

A autarquia de Damasco multiplicou por 10 o valor das multas, pelo que os prevaricadores terão agora de pagar 5 mil libras sírias, cerca de 9 euros, caso estendam roupa na rua, pendurem tapetes nas varandas, deitem lixo para a rua ou para o rio Barada, que atravessa a cidade.

Entre as outras medidas que os responsáveis justificam para "preservar a estética da cidade e lutar contra a poluição ambiental e visual", é ainda obrigatório para os donos de animais de estimação terem um certificado veterinário de saúde.

Por causa da guerra, os cofres da cidade estão mais vazios, pelo que os responsáveis procuram fazer entrar dinheiro por todos os meios. O preço dos passaportes para os sírios e as autorizações de residência para os estrangeiros estão mais caros, bem como as taxas de saída do território. Até as chawarmas, sandwichs de carne muito populares na região do Levante, foram taxadas.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.