sicnot

Perfil

Mundo

O berço que vai revolucionar a vida dos pais

Por todo o mundo, pais exaustos já devem ter fantasiado acerca de uma cama que pudesse balançar automaticamente o seu bebé até adormecer. O berço Snoo promete fazer o trabalho, com a ajuda da imitação do som do útero e de um cobertor de previne que os bebés acabem em posições perigosas. O berço que pode revolucionar a vida dos pais está à venda por 1.300 euros.

Para a criação deste berço, o pediatra Harvey Karp juntou-se a uma equipa de engenheiros do MIT e ao designer Yves Behar, desenvolvendo aquilo a que eles chamam do primeiro - e mais seguro - berço inteligente.

O berço "percebe" quando o bebé está a chorar, através de três microfones integrados que distinguem o som ambiente do choro. Conforme o barulho que o bebé está a fazer, o berço irá tocar um som especialmente criado para a situação, que fica mais calmo à medida que o bebé também acalma.

O aparelho vai ainda balançar o bebé até adormecer. Se o problema do bebé não puder ser resolvido com a tranquilidade - como fome ou uma fralda suja -, então o berço não pode ajudar. O aparelho é desenhado apenas para acalmar as crianças e, não para substituir os pais.

Na altura de colocar o bebé a dormir, existe um género de saco-cama - vem em três tamanhos diferentes: pequeno, médio e grande - que prende ao berço, prevenindo assim que o bebé fique numa situação perigosa.

  • Alternativas para vender a sua casa
    8:58
  • "Quem me dera que a bancada do Estoril fosse com o c......"

    Desporto

    Depois do jogo entre o Estoril-Praia e FC Porto, a polémica prolonga-se com um cântico da claque do Sporting sobre a bancada do estádio António Coimbra da Mota, que obrigou à interrupção do jogo da passada segunda-feira. Tudo aconteceu durante um jogo do campeonato de hóquei em patins entre leões e dragões, esta quarta-feira.

  • A maior lua de Saturno tem nível do mar tal como a Terra

    Mundo

    Titã, a maior lua de Saturno, tem uma altura média da superfície do mar, tal como a Terra, revela um estudo divulgado esta quarta-feira, que se baseia em observações feitas pela sonda norte-americana Cassini, cuja missão terminou em setembro.