sicnot

Perfil

Mundo

Saramago inspira manifestação de homens contra violência machista

Uma manifestação de "homens contra a violência machista" está convocada para o próximo dia 21, em Sevilha (Espanha), uma iniciativa que surgiu há 10 anos a partir de palavras do Nobel português José Saramago contra os maus-tratos às mulheres.

"Necessitamos de uma grande manifestação de homens que, como propunha Saramago, denuncie que o Machismo é Violência", defendem os organizadores do evento na página de Internet hombrescontralasviolenciasmachistas.com.

A primeira manifestação contra a violência machista teve lugar em 2006, também em Sevilha, e agora, passados dez anos, a par da demonstração também é organizado um colóquio de três dias na Universidade da capital da Andaluzia e uma homenagem a José Saramago, que recebeu o Prémio Nobel da Literatura em 1998.

Segundo fonte da Fundação José Saramago, com sede em Lisboa, na manifestação de sexta-feira estará presente a viúva do Nobel português, Pilar del Río, que preside a essa instituição e é natural de Sevilha.

A mesma fonte explicou à Lusa que José Saramago disse numa entrevista a um canal de televisão espanhol que a questão dos maus-tratos às mulheres era um assunto dos homens, porque eram eles os causadores, e eram eles os que deveriam resolvê-lo.

O Nobel acrescentou na ocasião que gostaria de ver homens na rua a manifestarem-se contra isso.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Cenário mais estável no Sardoal
    0:55

    País

    O presidente da Câmara do Sardoal, Miguel Borges, disse esta manhã que a situação está mais calma. No entanto, o autarca pede que não se desmobilizem os meios porque a situação pode mudar de forma imprevisivel. Miguel Borges alertou ainda para o cansaço dos bombeiros e agentes da Proteção Civil.

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.