sicnot

Perfil

Mundo

Tailândia pondera receber Austrália à porta fechada em memória do rei

Reuters

A Federação Tailandesa de Futebol (FTF) anunciou hoje que o jogo com a Austrália, do grupo B da fase asiática de qualificação para o Mundial2018, poderá ser disputado à porta fechada, em memória do rei Bhumibol Adulyadej.

Bhumibol Adulyadej, o monarca há mais tempo no poder, morreu na quinta-feira, aos 88 anos, depois de uma longa doença, pondo fim a um reinado de sete décadas.

"Temos de realizar o jogo", referiu o presidente da FTF, Somyot Poompanmoung, numa nota publicada na página oficial do organismo no Facebook, explicando que a Austrália recusou adiar o encontro ou reagenda-lo para outra altura.

O encontro, marcado para 15 de novembro, no estádio nacional Rajamangala, em Banguecoque, disputa-se após os 30 dias de luto, mas a FTF "ainda pondera se o jogo se realizará à porta fechada".

Ao fim de quatro jornadas, a Tailândia ocupa o sexto e último lugar do grupo B da qualificação asiática, ainda sem pontos.

O luto real é um tema sensível na Tailândia e já motivou vários incidentes por alguns tailandeses não trajarem de negro.

Os funcionários públicos devem vestir-se de negro durante um ano e grande parte da população já se manifestou disposta a cumprir o mesmo em memória de Bhumibol Adulyadej.

Vários concertos foram cancelados e o governo tailandês pediu "discrição" nos locais de entretenimento durante os 30 dias de luto.

Bhumibol Adulyadej era o monarca há mais tempo no poder e venerado na Tailândia, onde é visto como uma figura unificadora no país marcado por rivalidades políticas.

O monarca estava internado no hospital Siriraj, em Banguecoque, no exterior do qual estiveram concentradas centenas de pessoas a rezar pela saúde do rei.

O herdeiro do trono da Tailândia é o príncipe Maha Vajiralongkorn, de 64 anos, que tem vivido grande do tempo no estrangeiro.

  • Milhares de pessoas prestam homenagem ao Rei da Tailândia
    1:04

    Mundo

    Milhares de pessoas continuam a deslocar-se a Banguecoque, para prestar homanagem ao rei da Tailândia. Bhumibol morreu na quinta-feira e o país continua de luto. Ainda não há data para a cremação, até lá o corpo vai ficar para ser venerado no Grande Palácio.

  • O polémico futuro rei da Tailândia

    Mundo

    No poder há 70 anos, o rei Bhumibol Adulyadej era adorado pelos tailandeses. A sua morte arrasou a Tailândia, deixando o país perante um futuro de incertezas. Na sucessão ao trono está o filho mais velho, Maha Vajiralongkorn. A questão que fica é apenas uma: quem é realmente o herdeiro ao trono tailandês? Por entre casamentos falhados e um cão condecorado, conheça aqui o possível futuro rei da Tailândia.

  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.