sicnot

Perfil

Mundo

Células de leucemia resistem à quimioterapia porque movem-se rapidamente na medula

Uma equipa de investigadores, incluindo o português Delfim Duarte, concluiu que células de leucemia, o cancro do sangue, "fogem" e resistem à quimioterapia porque movimentam-se de forma rápida na medula óssea, sem se fixar num sítio específico.

A descoberta, cujos resultados foram publicados esta semana na revista Nature, abre portas para novos tratamentos, que, segundo a equipa, devem ser concebidos para travar o movimento destas células.

Cientistas do Imperial College de Londres estudaram, numa experiência com ratinhos, um tipo agressivo de leucemia aguda, a leucemia linfoblástica aguda de células T, um cancro de uma espécie de glóbulos brancos, que se caracteriza pelo aumento descontrolado destas células, responsáveis pela defesa do organismo contra agentes invasores.

Uma das teorias avançadas para explicar a resistência desta leucemia agressiva ao tratamento inicial, a quimioterapia, e a sua reincidência é a capacidade de os tumores se protegerem em locais específicos da medula óssea.

"[Contudo,] surpreendentemente, verificámos que, ao contrário do que tinha sido proposto anteriormente, as células de leucemia são extremamente rápidas e não têm localização preferencial na medula óssea. Ou seja, de forma simplificada, a leucemia 'foge' e resiste à quimioterapia", sustentou à Lusa o investigador Delfim Duarte, a realizar o doutoramento em leucemia e microambiente da medula óssea, no Imperial College de Londres.

A equipa usou uma "técnica inovadora" de observação ao microscópio, 'in vivo', em ratinhos com leucemia linfoblástica aguda de células T.

A técnica, explicou Delfim Duarte, hematologista no Instituto Português de Oncologia do Porto, "permitiu seguir, pela primeira vez, e em tempo real, as células de leucemia dentro da medula óssea", possibilitando "estudar o seu comportamento (movimento e estruturas com que interagem) e a sua localização".

Para o estudo, foi analisado o comportamento das células de ratinhos "doentes", com leucemia, e de células humanas de leucemia transplantadas em ratinhos imunodeficientes.

Os investigadores concluíram que quanto mais agressiva era quimioterapia administrada, mais rapidamente se movimentavam as células tumorais, resistindo ao tratamento.

O grupo observou também que a leucemia linfoblástica aguda de células T, predominante em crianças, destrói os osteoblastos, células do osso "essenciais à produção normal de sangue".

As conclusões a que chegaram os cientistas foram verificadas a partir de biópsias de medula óssea de doentes humanos, na Austrália.

A equipa da qual faz parte Delfim Duarte, um dos primeiros coautores do artigo publicado na Nature, está a averiguar qual a proteína envolvida no movimento das células da leucemia estudada, que possa servir como alvo terapêutico.

Além disso, pretende "explorar tratamentos que protejam os osteoblastos e permitam diminuir algumas complicações da doença", como anemia, infeções ou hemorragias.

O estudo teve a colaboração de investigadores do Instituto Francis Crick, igualmente em Londres, no Reino Unido, e da Universidade de Melbourne, na Austrália.

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus pais e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.