sicnot

Perfil

Mundo

Jacarta oferece recompensas por cada ratazana apanhada na cidade

© Reuters Photographer / Reuter

Jacarta, uma das maiores metrópoles, mais povoadas e poluídas do mundo, está a braços com uma praga de ratazanas. Cada habitante pode contribuir para a desinfestação e ainda ganhar com isso.

Quem anda pelas ruas da capital indonésia tem grandes probabilidades de dar de caras com uma ratazana. Esta cidade com 10 milhões de habitantes tem numerosas ruas cobertas de detritos e muitos bairros de lata.

Foi depois de um indesejado encontro com um roedor que o governador adjunto de Jacarta se lembrou de lançar o "Movimento de erradicação das ratazanas", em que o município oferece 20 mil rupias por cada uma capturada (pouco menos de 1 euro).

"Há muitas ratazanas aqui, e grandes", disse Djarot Saiful Hidayat no lançamento do programa, sublinhando que as ratazanas são um perigo sanitário e fator de propagação de doenças.

"Por cada ratazana pagaremos 20 mil rupias", garantiu. Não explicou a melhor forma de apanhar estes bichos, mas pediu para que não fossem utilizadas armas de fogo.

"Se possível, não utilizem por favor as vossas armas de fogo", apelou no Jakarta Post, citado pela agência France Press. "Se falhar o alvo pode acertar em alguém".

  • A casa dos horrores
    7:57

    Mundo

    Um casal foi detido na Califórnia acusado de tortura e escravidão dos 13 filhos: o mais velho tinha 29 anos e a mais nova dois. A polícia encontrou um cenário de horror quando entrou na casa da família, depois de uma das filhas ter fugido pela janela. Crianças e jovens estavam amarrados às camas e todos estavam mal alimentados. Mas nas redes sociais, o casal Turpin divulgava imagens de uma família feliz.

  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45
  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38