sicnot

Perfil

Mundo

Jacarta oferece recompensas por cada ratazana apanhada na cidade

© Reuters Photographer / Reuter

Jacarta, uma das maiores metrópoles, mais povoadas e poluídas do mundo, está a braços com uma praga de ratazanas. Cada habitante pode contribuir para a desinfestação e ainda ganhar com isso.

Quem anda pelas ruas da capital indonésia tem grandes probabilidades de dar de caras com uma ratazana. Esta cidade com 10 milhões de habitantes tem numerosas ruas cobertas de detritos e muitos bairros de lata.

Foi depois de um indesejado encontro com um roedor que o governador adjunto de Jacarta se lembrou de lançar o "Movimento de erradicação das ratazanas", em que o município oferece 20 mil rupias por cada uma capturada (pouco menos de 1 euro).

"Há muitas ratazanas aqui, e grandes", disse Djarot Saiful Hidayat no lançamento do programa, sublinhando que as ratazanas são um perigo sanitário e fator de propagação de doenças.

"Por cada ratazana pagaremos 20 mil rupias", garantiu. Não explicou a melhor forma de apanhar estes bichos, mas pediu para que não fossem utilizadas armas de fogo.

"Se possível, não utilizem por favor as vossas armas de fogo", apelou no Jakarta Post, citado pela agência France Press. "Se falhar o alvo pode acertar em alguém".

  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.