sicnot

Perfil

Mundo

ONG e detidos venezuelanos denunciam valas comuns em prisões

(Arquivo)

© Lucas Jackson / Reuters

O Observatório Venezuelano de Prisões (OVP), uma organização não-governamental, assegurou esta quarta-feira que existem valas comuns em centros de detenção do país, após as denúncias de presos que supostamente testemunharam esses factos e os revelaram a medias locais.

"Esta informação confirma o que dizemos desde há muitos anos, não é novo o que acontece na Penitenciária Geral da Venezuela (PGV, no centro do país", disse o diretor da OVP, Humberto Prado, à Union Radio, ao ser questionado sobre as denúncias feitas a partir desta prisão.

O diário Últimas Noticias publica esta quarta-feira uma denúncia de um grupo de prisioneiros da PGV, segundo a qual vários reclusos foram assassinados e sepultados em quatro valas comuns no interior do recinto.

Prado reiterou que a situação não é nova e recordou que o OVP e os familiares do condenado Francisco Guerrero denunciaram em 2009 o seu desaparecimento da PGV, um caso que foi apresentado ao Comité contra a tortura da ONU.

"As Nações Unidas responsabilizaram o Estado venezuelano por este desaparecimento. Esta decisão foi emitida em 2014 e apenas agora é que se noticia a existência de valas comuns apesar de se denunciarem há anos este tipo de desaparecimentos no interior da PGV", comentou o ativista.

O diretor da OVP referiu ainda que Francisco Guerrero, segundo os seus companheiros de prisão, é um exemplo destes "desaparecimentos forçados" na PGV e foi vítima dos designados "pranes", líderes que operam dentro da cadeia e que cobram a outros detidos a designada "causa", ou o "direito a viver" do prisioneiro.

"A causa é cobrada por grupos de presos que estão organizados, conhecidos como pranes, que operam sob a vigilância cúmplice do próprio Estado", assinalou Prado, que comentou que os companheiros de Guerrero o informaram que este recluso, desaparecido esta quarta-feira, se negou a pagar aos cabecilhas do estabelecimento prisional.

O periódico Últimas Noticias cita reclusos da PGV onde se refere que os "pranes" "escavam o chão, metem os corpos, cobrem-nos com cal e tapam de novo com cimento".

O ministério para o Serviço Penitenciário não se pronunciou até ao momento sobre o caso.

Lusa

  • IPSS no Seixal alvo de processo e auditoria financeira
    1:47

    País

    A Segurança Social está fazer mais uma inspeção total a uma IPSS, agora na Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal. A fiscalização já recolheu documentação e está agora a passar a pente fino as contas, os serviços e todos os procedimentos da Instituição.

    Investigação SIC - Hoje no Jornal da Noite

    SIC

  • Rui Santos revela novos e-mails que envolvem o Benfica
    1:52
    Tempo Extra

    Tempo Extra

    3ª FEIRA 23:00

    No programa da SIC Notícias Tempo Extra, Rui Santos revelou esta terça-feira que o blogue de Hugo Gil, associado ao Benfica, partilhou informação privilegiada da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) com várias figuras do clube da Luz.

  • Fredy Montero é reforço do Sporting

    Desporto

    O colombiano Fredy Montero está de regresso ao Sporting, anunciou o clube. O avançado de 30 anos já tinha vestido a camisola dos leões entre 2013 e 2015, antes de passar pelos chineses do Tianjin Teda e nos canadianos dos Vancouver Whitecaps.

  • Trump mentalmente apto para ser Presidente dos EUA

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos foi na semana passada sujeito aos exames médicos anuais obrigatórios. O médico oficial da Casa Branca informou esta terça-feira que Donald Trump está de "excelente" saúde, não apenas física, como já tinha sido divulgado, mas também mental. As dúvidas sobre as capacidades cognitivas de Trump ganharam força após as revelações feitas no livro "Fire and Fury: Inside the Trump White House".

    SIC

  • "É preciso namorar bem para que o namoro dê certo"
    2:31
  • Governo vai proibir refeições nos monumentos com estatuto de panteão
    0:53

    País

    O Governo vai acabar com as refeições no Panteão Nacional e em edifícios com estatuto semelhante, como os mosteiros dos Jerónimos e da Batalha. A decisão foi anunciada esta terça-feira pelo ministro da Cultura, no Parlamento. Luís Filipe Castro Mendes esclareceu que a decisão surge no âmbito da revisão do regulamento sobre os monumentos.