sicnot

Perfil

Mundo

Putin, Hollande e Merkel reúnem-se para falar sobre a Síria

Os Presidentes russo e francês, Vladimir Putin e François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, realizam hoje em Berlim uma "reunião de trabalho" sobre crise síria.

O objetivo do encontro "consiste designadamente em fazer passar sempre a mesma mensagem a Vladimir Putin sobre a Síria: um cessar-fogo duradouro em Alepo e um acesso humanitário para que termine o martírio dessa cidade", referiram na terça-feira círculos próximos da presidência francesa.

O anúncio da reunião surgiu após Moscovo ter anunciado, também na terça-feira, uma pausa nos 'raides' da aviação russa e síria sobre Alepo, num "gesto de boa vontade" para permitir a retirada de civis dos bairros rebeldes desta cidade síria que desde há cerca de um mês está sujeita a bombardeamentos quase ininterruptos.

A decisão sobre a interrupção dos ataques aéreos durante um período de oito horas foi elogiada pelas Nações Unidas e União Europeia, que no entanto referiram a necessidade de prolongar o cessar-fogo para permitir o envio de ajuda humanitária.

O encontro foi agendado para Berlim no mesmo dia em que Vladimir Putin deveria efetuar uma visita a Paris, cancelada 'sine die' na sequência de um braço de ferro diplomático sobre a Síria entre os chefes de Estado francês e russo.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.