sicnot

Perfil

Mundo

Putin, Hollande e Merkel reúnem-se para falar sobre a Síria

Os Presidentes russo e francês, Vladimir Putin e François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, realizam hoje em Berlim uma "reunião de trabalho" sobre crise síria.

O objetivo do encontro "consiste designadamente em fazer passar sempre a mesma mensagem a Vladimir Putin sobre a Síria: um cessar-fogo duradouro em Alepo e um acesso humanitário para que termine o martírio dessa cidade", referiram na terça-feira círculos próximos da presidência francesa.

O anúncio da reunião surgiu após Moscovo ter anunciado, também na terça-feira, uma pausa nos 'raides' da aviação russa e síria sobre Alepo, num "gesto de boa vontade" para permitir a retirada de civis dos bairros rebeldes desta cidade síria que desde há cerca de um mês está sujeita a bombardeamentos quase ininterruptos.

A decisão sobre a interrupção dos ataques aéreos durante um período de oito horas foi elogiada pelas Nações Unidas e União Europeia, que no entanto referiram a necessidade de prolongar o cessar-fogo para permitir o envio de ajuda humanitária.

O encontro foi agendado para Berlim no mesmo dia em que Vladimir Putin deveria efetuar uma visita a Paris, cancelada 'sine die' na sequência de um braço de ferro diplomático sobre a Síria entre os chefes de Estado francês e russo.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão