sicnot

Perfil

Mundo

Termina motim de imigrantes em centro de acolhimento em Madrid

© Lusa

Um grupo de 39 imigrantes abandonou esta manhã o telhado do Centro de Internamento de Estrangeiros de Aluche, em Madrid, 12 horas depois do início, segundo a imprensa espanhola.

Os imigrantes permaneceram toda a noite no telhado do edifício pedindo, aos gritos, "liberdade" e "dignidade", enquanto negociavam com a polícia debaixo de uma chuva intensa.

O porta-voz da Polícia Nacional espanhola, citado pela imprensa, explicou que os imigrantes não estavam armados e negou que a revolta se tenha iniciado devido à redução da presença de polícias que teriam sido deslocados para reforçar a segurança em redor do estádio do Real Madrid, onde se verificaram distúrbios na terça-feira à noite.

O motim começou às 22:00 (21:00 em Lisboa) de terça-feira, quando os imigrantes taparam as câmaras de segurança, para não serem controlados, e começaram a partir o mobiliário do Centro de Internamento de Estrangeiros de Aluche, tendo em seguida chegado ao telhado do edifício.

O incidente soma-se a uma série de outras tentativas de fuga de estrangeiros deste tipo de estabelecimentos em Espanha, que alguns consideram ser prisões.

Estes centros de acolhimento foram criados para alojar provisoriamente os estrangeiros de fora da União Europeia que entram em Espanha de forma ilegal.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15