sicnot

Perfil

Mundo

Gelo do Ártico não está a crescer como devia nesta época do ano

© NASA NASA / Reuters

O crescimento do gelo marinho no Ártico está em queda, anunciou hoje a Agência Espacial Europeia (ESA), que registou um dos volumes mais baixos para esta época do ano, ao nível do assinalado em 2011 e 2012.

Segundo dados recolhidos pelo satélite CryoSat da ESA, encarregado de estudar os gelos polares e a sua evolução para medir os efeitos das alterações climáticas, este mês a capa de gelo do Polo Norte teve menos 10% no seu volume em relação ao que é o habitual.

O Ártico ganha, geralmente, cerca de 161 quilómetros cúbicos de gelo por dia em novembro, mas este ano teve um aumento de 139 quilómetros cúbicos diários, com um volume total de gelo estimado em 10.500 quilómetros cúbicos até ao final do mês, informou a ESA num comunicado.

"Embora o gelo marinho no Ártico central é atualmente mais denso do que em 2011, há muito menos gelo em regiões mais ao sul, como nos mares de Beaufort, da Sibéria Oriental e de Kara", disse a agência.

Estes dados somam-se aos recolhidos pela ESA no ano passado no oceano Antártico, em que o manto de gelo perde 60 quilómetros cúbicos ao ano desde 2009, uma região até então aparentemente imune aos efeitos das alterações climáticas.

O CryoSat, lançado em 2010, está equipado com um altímetro que pode medir com precisão a variação da altura da superfície de gelo, o que permite aos cientistas ver a evolução com um a exatidão sem precedentes.

Os dados recolhidos pelo CryoSat permitiram fazer este mapa detalhado do gelo do Ártico.

Os dados recolhidos pelo CryoSat permitiram fazer este mapa detalhado do gelo do Ártico.

CryoSat ESA

  • Cientistas dizem que rápido degelo do Ártico é sinal de alarme
    1:30

    Mundo

    As temperaturas anormalmente altas e o rápido degelo estão a preocupar os cientistas, que alertam para que as mudanças na região polar poderão ter impactos globais e potencialmente desastrosos. O relatório "Resiliência do Ártico 2016" apresentado esta sexta-feira em Estocolmo, na Suécia, indica que os efeitos do aquecimento do Ártico poderão ser sentidos mesmo no oceano Índico. O investigador do Instituto do Ambiente de Estocolmo, Marcus Carson, avisa que a melhor forma de travar o aquecimento global é deixarmos de queimar combustíveis fósseis.

  • 2016 pode ser o ano mais quente

    Mundo

    É muito provável que 2016 destrone o ano anterior como o mais quente desde que há registo, de acordo com a Agência Mundial Meteorológica das Nações Unidas.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.