sicnot

Perfil

Mundo

Trump defende que estudante que feriu 11 pessoas no Ohio "não deveria estar" nos EUA

© Mike Segar / Reuters

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou esta quarta-feira, na rede social Twitter, que o estudante, de 18 anos e de origem somali, que feriu 11 pessoas Universidade State Ohio "não deveria estar no país".

Não ficou claro se Donald Trump considerou que houve um fracasso no sistema de triagem ou se estava a dar o caso como exemplo para apoiar a sua proposta de rever as políticas de migração, especialmente para restringir as entradas de refugiados, escreve a agência Associated Press.

Na segunda-feira, um estudante de 18 anos, de origem somali, foi abatido pela polícia depois de ter atropelado várias pessoas e ferido outras com uma faca, na Universidade State Ohio, onde também estudava.

A Ohio State é um das maiores universidades dos Estados Unidos, com cerca de 60.000 alunos no 'campus' principal.

Lusa

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC