sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela saúda OPEP por limitar produção de petróleo

© Marco Bello / Reuters

O Presidente venezuelano felicitou esta quarta-feira os membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) pelo acordo para reduzir a produção de crude em 1,2 milhões de barris por dia, limitando-a a 32,5 milhões de barris diários.

"Felicito e agradeço aos nossos sócios da OPEP por acordo tão importante a que chegámos no dia de hoje, para estabilizar o mercado", escreveu Nicolás Maduro na sua conta no Twitter.

Segundo o Presidente da Venezuela foram "dois anos de esforços" de negociações propostas pela Venezuela "para recuperar o mercado e conseguir preços justos, realistas e estáveis".

"Agradeço também aos países não OPEP (...) Nos próximos dias estaremos a consolidar esta nova aliança de futuro que beneficia a todos. Obrigado, continuemos avançando", frisou.

Para a Venezuela, o preço justo do petróleo é de mais de 60 dólares o barril.

Segundo o presidente da empresa estatal Petróleos de Venezuela SA (PDVSA), Eulógio del Pino, o acordo é "mais uma vitória para a revolução bolivariana, que com o Presidente Nicolás Maduro nunca desistiu de defender o preço do petróleo".

"Fechámos um acordo histórico na OPEP, em linha com um pacto preliminar alcançado na Argélia, cumprimos com o previsto", escreveu no Twitter.

A Venezuela, segundo as autoridades locais, é um dos países com maiores reservas comprovadas de petróleo do mundo, cujas receitas se reduziram nos últimos anos devido à descida do preço internacional do crude.

Desde janeiro último que vigora, no país, um estado de exceção económica.

Lusa

  • Sismo de 3,1 com epicentro a 8 km de Almodôvar

    País

    Um sismo de magnitude 3,1 na escala de Richter com epicentro a cerca de oito quilómetros a nordeste de Almodôvar, distrito de Beja, foi hoje sentido no continente, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

  • Paris afetada por praga de ratos
    1:03