sicnot

Perfil

Mundo

Nova estimativa sobe para 170 mil M€ custo de desmantelar e limpar Fukushima

Japão, 11 de março de 2011: um sismo de magnitude 9 seguido de um tsunami devastou a região de Tohoku (nordeste), fazendo quase 19.000 mortos e provocando um grave acidente nuclear na central de Fukushima.

© Yomiuri Yomiuri / Reuters

O custo estimado para desmantelar a central nuclear japonesa de Fukushima, compensar residentes e descontaminar o ambiente após o acidente de 2011 ultrapassa os 20 biliões de ienes (170 mil milhões de euros), informou hoje a estação pública NHK.

O valor representa também cerca do dobro do estimado no fim de 2013 pelo Ministério da Indústria (Meti) do Japão.

A operadora da central Fukushima Daiichi, a Tokyo Electric Power (Tepco), tinha inicialmente indicado que só o desmantelamento e os trabalhos no local iriam custar cerca de 2 biliões de ienes, mas na nova avaliação governamental, o montante é quatro vezes superior: 8 biliões (cerca de 70 mil milhões de euros), segundo a NHK.

Os mesmos valores referidos pela estação pública japonesa foram publicados pelo diário Nikkei.

Será preciso pelo menos três a quatro décadas para recuperar o combustível fundido em três unidades e limpar as zonas afetadas.

Um comité de peritos mandatados pelo Governo tinha já em outubro dito que o custo do desmantelamento "vai ultrapassar largamente os 2 biliões de ienes".

O comité e o Met não deram dados oficiais atualizados entretanto, mas poderão publicá-los na próxima reunião este mês.

"As discussões (sobre os custos e a sua repartição) vão continuar ainda no próximo ano", disse por telefone à AFP um porta-voz do Meti.

A 11 de março de 2011, um sismo de magnitude 9 na escala de Ritcher e o 'tsunami' que se seguiu devastaram o nordeste do Japão, fizeram mais de 18 mil mortos e provocaram graves danos na central de Fukushima Daiichi, desencadeado a pior crise nuclear desde Chernobil, na Ucrânia, em 1986.

Lusa

  • Buscas e apreensões na esquadra da PSP na Brandoa

    País

    O Ministério Público de Sintra esteve a fazer buscas e apreensões, esta manhã, na esquadra da PSP da Brandoa, no concelho da Amadora. De acordo com a Procuradoria-Gera Distrital de Lisboa, em causa estão crimes de corrupção passiva e ativa e abuso de poder.

  • Portugueses divididos na recondução da procuradora-geral da República
    1:31
  • "Os castigos incluiam sovas frequentes e até estrangulamento"
    5:03
  • Teste ao sangue deteta oito tipos de cancro

    Mundo

    Um novo teste sanguíneo experimental permitiu detetar precocemente os oito cancros mais frequentes em 70 por cento dos casos, de acordo com um estudo publicado na revista Nature feito por investigadores nos Estados Unidos.