sicnot

Perfil

Mundo

Nova estimativa sobe para 170 mil M€ custo de desmantelar e limpar Fukushima

Japão, 11 de março de 2011: um sismo de magnitude 9 seguido de um tsunami devastou a região de Tohoku (nordeste), fazendo quase 19.000 mortos e provocando um grave acidente nuclear na central de Fukushima.

© Yomiuri Yomiuri / Reuters

O custo estimado para desmantelar a central nuclear japonesa de Fukushima, compensar residentes e descontaminar o ambiente após o acidente de 2011 ultrapassa os 20 biliões de ienes (170 mil milhões de euros), informou hoje a estação pública NHK.

O valor representa também cerca do dobro do estimado no fim de 2013 pelo Ministério da Indústria (Meti) do Japão.

A operadora da central Fukushima Daiichi, a Tokyo Electric Power (Tepco), tinha inicialmente indicado que só o desmantelamento e os trabalhos no local iriam custar cerca de 2 biliões de ienes, mas na nova avaliação governamental, o montante é quatro vezes superior: 8 biliões (cerca de 70 mil milhões de euros), segundo a NHK.

Os mesmos valores referidos pela estação pública japonesa foram publicados pelo diário Nikkei.

Será preciso pelo menos três a quatro décadas para recuperar o combustível fundido em três unidades e limpar as zonas afetadas.

Um comité de peritos mandatados pelo Governo tinha já em outubro dito que o custo do desmantelamento "vai ultrapassar largamente os 2 biliões de ienes".

O comité e o Met não deram dados oficiais atualizados entretanto, mas poderão publicá-los na próxima reunião este mês.

"As discussões (sobre os custos e a sua repartição) vão continuar ainda no próximo ano", disse por telefone à AFP um porta-voz do Meti.

A 11 de março de 2011, um sismo de magnitude 9 na escala de Ritcher e o 'tsunami' que se seguiu devastaram o nordeste do Japão, fizeram mais de 18 mil mortos e provocaram graves danos na central de Fukushima Daiichi, desencadeado a pior crise nuclear desde Chernobil, na Ucrânia, em 1986.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho