sicnot

Perfil

Mundo

Rússia propõe quatro corredores humanitários para Alepo

© Omar Sanadiki / Reuters

A Rússia propôs a criação de quatro corredores humanitários no leste de Alepo, declarou esta quinta-feira um responsável das Nações Unidas, que espera poder retirar os feridos e encaminhar ajuda para a zona sitiada pelas forças do regime sírio.

"A Federação da Rússia anunciou" que os seus enviados "querem sentar-se em Alepo com o nosso pessoal para discutir o modo como podemos utilizar os quatro corredores para retirar as pessoas, nomeadamente (...) pelo menos 400 feridos que precisam de transferência médica imediata", declarou aos jornalistas Jan Egeland, à frente do grupo de trabalho sobre ajuda humanitária na Síria, após uma reunião em Genebra.

Estes corredores podem também servir para encaminhar medicamentos e alimentos, adiantou.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, sublinhou que a instauração de uma "pausa" humanitária continua a ser a prioridade das Nações Unidas.

O modo de funcionamento dos quatro corredores humanitários propostos por Moscovo será discutido hoje, adiantou Egeland, lembrando que eles só poderão funcionar "se todos os atores armados os respeitarem".

Moscovo, aliado do Governo sírio, já noutras ocasiões decretou unilateralmente tréguas e estabeleceu corredores humanitários, mas a ONU nunca os utilizou por falta de garantias de segurança.

Staffan de Mistura alertou hoje que a ofensiva do exército sírio em Alepo nos últimos dias obrigou 30.000 civis a deixarem as suas casas e que o número está a aumentar hora a hora.

Na quarta-feira, o responsável pelas operações humanitárias da ONU, Stephen O'Brien, disse que a parte oriental de Alepo está em risco de se tornar "um gigantesco cemitério" caso os combates continuem e a ajuda humanitária permaneça bloqueada.

As Nações Unidas têm medicamentos e géneros alimentares armazenados para fornecer às cerca de 250.000 pessoas que estão sitiadas na zona leste de Alepo e os camiões da organização internacional estão prontos para entrar.

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.