sicnot

Perfil

Mundo

Novo rei da Tailândia perdoa prisioneiros em "primeiro gesto de misericórdia"

© Chaiwat Subprasom / Reuters

O novo rei da Tailândia decretou uma amnistia de larga escala a prisioneiros, no seu primeiro gesto de "misericórdia" como monarca, após a morte do pai.

O rei Bhumibol Adulyadej morreu em outubro, aos 88 anos, após sete décadas de reinado, deixado o país politicamente instável sem uma figura unificadora.

O seu único filho, Vajiralongkorn, de 64 anos, foi proclamado rei este mês.

No entanto, o monarca, divorciado três vezes, não reúne o mesmo nível de devoção que o pai, em parte devido aos rumores sobre a sua vida privada.

A amnistia foi a "primeira oportunidade [de Vajiralongkorn], desde que sucedeu ao trono, de demonstrar misericórdia", de acordo com um comunicado publicado no domingo na Gazeta Real, próxima do Palácio.

Sob o reinado de Bhumibol, os perdões eram eventos anuais.

Mulheres detidas por primeiros crimes, presos que já cumpriram um terço das suas penas e prisioneiros com deficiências ou doença graves foram alguns dos amnistiados.

O decreto não indica quantas pessoas vão ser libertadas.

  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.