sicnot

Perfil

Mundo

Centenas em protesto em Macau no aniversário da transição para a China

Bandeira da China

Reuters

Cerca de 600 pessoas, de acordo com a polícia, manifestaram-se esta terça-feira em Macau, saindo à rua com diferentes reivindicações, aproveitando o feriado do aniversário da transferência do exercício de soberania de Portugal para a China.

Os protestos, pelo dia do 17.º aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial, foram organizados por seis associações, que, na sua maioria, partiram da zona norte da cidade, com destino à sede do Governo, onde chegaram de forma espaçada e entregaram petições.

Segundo a PSP, foram mobilizados 100 agentes para as manifestações que decorreram de forma pacífica e seguiram o itinerário proposto.

O grupo mais numeroso, e também um dos mais barulhentos, com várias pessoas a 'baterem' pratos, foi o da Associação Reunião Familiar de Macau, formado quase exclusivamente por pessoas idosas, que deixou ainda uma petição no Gabinete de Ligação da China.

Trata-se dos pais dos chamados "filhos maiores" nascidos na China. À data da apresentação do pedido para se reunirem com os pais, preenchiam os requisitos, mas durante a apreciação do requerimento ultrapassaram a idade permitida para a autorização de fixação de residência em Macau.

Outras cinco associações e dois cidadãos mobilizaram-se por motivos tão diferentes como em protesto contra a corrupção, para pedir aumentos salariais para a construção civil e reivindicar restrições à importação de mão-de-obra, para exigir a demissão de dirigentes, como do secretário para a Economia e Finanças, ou apelar para que haja mais habitação social nos novos terrenos que estão a ser conquistados ao mar.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15