sicnot

Perfil

Mundo

Abusos sexuais no futebol inglês podem ter atingido crianças com quatro anos

© Reuters Staff / Reuters

A polícia britânica revelou esta quarta-feira que crianças com idades a começar nos quatro anos poderão ter sido molestadas, no quadro do escândalo de pedofilia que abala o futebol inglês.

Numa atualização da informação, o Conselho Nacional de Chefes de Polícia (NPCC na sigla em inglês), órgão que coordena as forças policiais locais, houve aumentos significativos no número de clubes envolvidos, de suspeitos e de potenciais vítimas.

No inquérito estão a ser investigados 148 clubes, 155 suspeitos e 429 vítimas, com idades entre os quatro e os 20 anos no momento dos alegados abusos sexuais. Grande parte aconteceu há mais de 20 anos.

Vários ex-jogadores vieram a público relatar que tinham sido vítimas de abusos sexuais por parte de treinadores das camadas jovens, depois Andy Woodward ter revelado no mês passado que foi molestado por um pedófilo condenado quando representava o Crewe Alexandra.

Os números mais recentes do NPCC dão conta de que há 819 situações relacionadas com o caso sob investigação. Três quartos foram referidos através da linha telefónica entretanto criada para apoio e denúncias em casos idênticos e as restantes vieram das forças policiais britânicas.

Cerca de 98% das vítimas são do sexo masculino e o NPCC confirmou que outras modalidades foram também citadas.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41