sicnot

Perfil

Mundo

Assassino de embaixador russo protegeu Erdogan por oito vezes desde julho último

Burhan Ozbilici/AP

O jovem polícia que matou o embaixador russo em Ancara fez parte por oito vezes do dispositivo de segurança do Presidente Recep Tayyip Erdogan desde julho, de acordo com a comunicação social turca.

Mevlüt Mert Altintas, um polícia de 22 anos, matou na passada segunda-feira em frente às câmaras com nove disparos de arma ligeira o embaixador da Rússia em Ancara, Andrei Karlov, antes de ser abatido.

De acordo com uma notícia do diário turco Hürriyet, o jovem polícia, agente das brigadas especiais da polícia anti-motim em Ancara desde há dois anos e meio, foi membro do dispositivo de proteção do Presidente turco por oito vezes desde a tentativa de golpe de Estado em julho último.

"Ele foi membro da equipa que garante a segurança do Presidente mesmo por detrás dos guarda-costas", noticia o Hürriyet, citado pela agência France Presse.

Depois de cravejar de balas o embaixador, Mevlüt Mert Altintas gritou "Alá é grande" e afirmou agir para vingar a cidade síria de Alepo, em vias de ser totalmente tomada pelas forças do regime sírio com o apoio das forças armadas russas.

Não obstante o homicida ter ligado o seu ato à situação na Síria, o chefe da diplomacia turca afirmou ao seu homólogo norte-americano que Moscovo e Ancara sabem que a rede do clérigo Fethullah Güllen está por detrás da morte.

De acordo com a agência de notícias turca, Anadolu, que cita fontes diplomáticas, Mevlüt Çavusoglu afirmou a John Kerry que "a Turquia e a Rússia sabem que por detrás do ataque (...) está a FETO", acrónimo que designa a organização do clérigo exilado nos Estados Unidos, que Ancara acusa de ser o mentor da tentativa de golpe de Estado fracassada.

Güllen -- que sempre negou esta acusação -- manifestou-se "chocado e profundamente triste" com o homicídio do embaixador.

De acordo com a comunicação social turca, a polícia tem atualmente 13 pessoas sob detenção ou residência vigiada, entre as quais várias pessoas próximas do atirador.

A Turquia aceitou, de forma insólita, a participação na investigação de 18 investigadores russos enviados por Moscovo e que participaram na autópsia do corpo de Andrei Karlov, repatriado na terça-feira para Moscovo.


  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.