sicnot

Perfil

Mundo

China registou 66 mil mortos devido a acidentes no trabalho em 2015

A China registou 66 mil mortos devido a acidentes no trabalho, em 2015, informaram as autoridades chinesas, num ligeiro decréscimo face ao ano anterior, o que ilustra as precárias condições laborais na segunda maior economia mundial.

No total, o país asiático registou 282.000 acidentes de trabalho, no ano passado, segundo um comunicado difundido na quarta-feira pelo 'site' oficial da Assembleia Nacional Popular (ANP), o parlamento chinês.

Desde 2002, o número de vítimas mortais entre o operariado chinês recuou 50%, enquanto se registaram menos um milhão de acidentes.

A China continua, porém, a representar cerca de 20% das mortes no mundo, causadas por acidentes laborais, segundo a Organização Internacional do Trabalho.

Em 2015, o país registou 38 acidentes com mais de dez vítimas mortais ou danos acima dos 50 milhões de yuan (6,8 milhões de euros), refere o comunicado da ANP.

"Houve tendência para pôr ênfase no desenvolvimento e ignorar a segurança", afirmou Zhang Ping, vice-presidente do Comité Permanente da ANP.

Zhang menciona as minas de carvão e fábricas de aço como locais onde o controlo precário das condições de segurança resultou em acidentes.

A falta de reforço na aplicação da lei e regulações desatualizadas, ou mesmo contraditórias, explicam também os acidentes no trabalho, refere o comunicado.

O número de mortos em 2015 ficou ligeiramente abaixo da cifra registada no ano anterior - 68.061.

Houve também menos 8.000 acidentes.

Em 2016, a China registou vários acidentes industriais graves.

No início deste mês, explosões em duas minas de carvão na Mongólia Interior e na província de Heilongjiang, no nordeste do país, fizeram um total de 59 mortos.

Em 31 de outubro, 33 mineiros morreram também na sequência de uma explosão no município de Chongqing, sudoeste do país.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.