sicnot

Perfil

Mundo

Ikea paga 48 milhões de euros devido a morte de crianças esmagadas por cómodas

(Arquivo)

© Jacky Naegelen / Reuters

O fabricante sueco de móveis Ikea vai pagar 50 milhões de dólares (47,9 milhões de euros) no âmbito de um acordo com os Estados Unidos, após três crianças terem morrido esmagadas por cómodas, disse fonte judicial.

Segundo o escritório de advogados Feldman Shepherd, que representa as famílias das vítimas, o dinheiro vai ser distribuído pelas famílias das três crianças, que tinham todas dois anos de idade.

A empresa sueca, que já confirmou o acordo, vai doar também 100.000 dólares (95 mil euros) a hospitais infantis e outros 100.000 dólares a uma fundação norte-americana que lida com a segurança das crianças.

Cerca de 29 milhões de cómodas Malm foram recolhidas pela empresa nos Estados Unidos, Canadá e China.

A agência dos Estados Unidos para a segurança do consumidor (CPSC) indicou em junho que desde 1989 cinco pessoas morreram e 31 ficaram feridas em acidentes que envolveram aquele modelo de cómodas.

Lusa

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.