sicnot

Perfil

Mundo

ONU aprova comissão para investigar crimes graves na Síria

A Assembleia-Geral das Nações Unidas aprovou esta quarta-feira a criação de uma comissão para apoiar a investigação dos crimes mais graves, cometidos durante a guerra na Síria.

A iniciativa, promovida pelo Liechtenstein com o apoio de dezenas de países, recebeu 105 votos a favor, 15 contra e 52 abstenções, segundo a agência espanhola Efe.

O texto estabelece um "mecanismo internacional, imparcial e independente" para ajudar na investigação e julgamento dos responsáveis pelos crimes mais graves cometidos na Síria desde março de 2011.

Este organismo deverá cooperar com a comissão de inquérito sobre a Síria, criada 2011, para reunir, consolidar, preservar e analisar as provas de violações das normas internacionais humanitárias e de direitos humanos.

A Assembleia-Geral da ONU encarrega a Secretaria-Geral de desenvolver, no prazo de 20 dias, os pormenores deste mecanismo, para que seja implementado rapidamente.

O texto hoje aprovado insiste na "necessidade de garantir a prestação de contas" para o que aconteceu na Síria com os processos adequados a nível nacional e internacional.

Organizações, como a Human Rights Watch, incentivaram, nos últimos dias, os Estados-Membros para apoiar a resolução e garantir a justiça para as vítimas de crimes graves cometidos na Síria.

Hoje, a Rússia e outros países como o Irão, a Venezuela, Cuba e a África do Sul mostraram-se muito críticos com a resolução, e defenderam que a Assembleia-Geral está a cometer uma ingerência nos assuntos internos da Síria.

Por seu lado, o governo sírio insistiu, sem êxito, que a votação não devia ocorrer, alegando que a Assembleia-Geral não tem poder para resolver esta questão.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • As polémicas do primeiro mês de Donald Trump como Presidente
    3:17
  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.