sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Brasil diz que não renuncia e descarta mudanças no Governo

O Presidente do Brasil, Michel Temer, disse hoje que não renunciará ao cargo e descartou mudanças no seu Governo apesar de vários ministros e dele próprio terem sido citados em acusações ligadas aos escândalos de corrupção na Petrobras.

"Por enquanto, não há nenhuma intenção a esse respeito [sobre a possibilidade de renúncia]", afirmou o chefe de Estado brasileiro.

O Presidente falava num pequeno-almoço com jornalistas, em Brasília, no qual apresentou um relatório sobre a sua gestão, que oficialmente começou em agosto após a destituição de Dilma Rousseff.

Falando sobre a possibilidade de ser retirado do cargo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do país, o Presidente brasileiro afirmou que havendo uma decisão [de cassar a coligação com a ex-Presidente Dilma Rousseff], haverá recursos e mais recursos".

Michel Temer está sob investigação na justiça eleitoral brasileira, que atualmente analisa eventuais irregularidades cometidas no financiamento da campanha presidencial de 2014, cujo resultado poderia invalidar a eleição e, nesse caso, decretar a sua saída do Governo, uma vez que concorrer coligado com Dilma Rousseff e só assumiu a presidência porque esta foi destituída.

Sobre as denúncias do envolvimento de membros de sua equipa em casos de corrupção, Michel Temer citou especificamente o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, implicado por ex-diretores da Odebrecht como suposto recetor de subornos no âmbito das investigações da operação Lava Jato.

Michel Temer declarou que "[Eliseu] Padilha permanece firme e forte [no cargo]".

O chefe de Estado também insistiu que os "supostos testemunhos" de antigos executivos da Odebrecht que denunciaram estes casos na imprensa "não podem" ser usados como base para o Governo tomar as suas decisões.

De acordo com alguns destes testemunhos, o próprio Presidente teria pedido à Odebrecht a soma de 10 milhões de reais (2,8 milhões de euros) em nome do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) para usar na campanha presidencial de 2014.

As informações obtidas pela imprensa brasileira indicam que este dinheiro teria sido pago em duas parcelas, tendo sido uma delas pessoalmente recebida pelo agora ministro Eliseu Padilha e a outra por José Yunes, um assessor do Presidente que se demitiu depois de as denúncias terem sido divulgadas.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.