sicnot

Perfil

Mundo

Batalhão da polícia militar russa enviado para Alepo

Um batalhão da polícia militar russa foi deslocado na noite de quinta-feira para Alepo para garantir a segurança da segunda cidade síria e totalmente controlada pelo exército de Damasco, indicou hoje o ministro da Defesa russa Serguei Shoigu.

"Desde a noite de ontem [quinta-feira], deslocámos um batalhão da polícia militar nos territórios libertados [em Alepo] para manter a ordem", declarou Shoigu, citado num comunicado do Kremlin após uma reunião com o Presidente Vladimir Putin.

O dirigente russo definiu hoje a recuperação de Alepo pelas forças de Damasco como "um passo muito importante" em direção à resolução do conflito, que desde 2011 já provocou mais de 310.000 mortos.

O batalhão russo integra entre 300 e 400 soldados, referiu um responsável do comité para a defesa e segurança do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento), Franz Klintsevitch.

"Trata-se de lançar as bases para um serviço de polícia na cidade libertada", afirmou à agência noticiosa Interfax.

O regime sírio anunciou na noite de quinta-feira ter retomado o controlo total de Alepo, na sua mais importante vitória militar face aos rebeldes desde o início da guerra civil em 2011, e possível graças ao apoio dos seus aliados russo, iraniano e das milícias do Hezbollah libanês.

Este anúncio surgiu no final de uma operação de retirada de dezenas de milhares de civis e combatentes, conduzidos para territórios controlados pelos rebeldes.

Este acordo foi patrocinado pela Turquia, principal apoiante dos rebeldes, a Rússia e o Irão, os principais aliados do regime de Bashar al-Assad.

Lusa

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Trump remarca encontro com Kim Jong-un no Twitter
    2:33

    Mundo

    A Coreia do Sul e a Coreia do Norte reuniram-se pela segunda vez em menos de um mês. Os Presidentes dos dois países dizem que estão a cooperar para que a cimeira entre Washington e Pyongyang, em Singapura, seja um sucesso. Donald Trump regressou ao Twitter para remarcar a cimeira a 12 de junho.

  • Brasil "virado do avesso" devido à greve dos camionistas
    2:27
  • Na linha do triunfo
    16:49