sicnot

Perfil

Mundo

Dirigente de campanha eleitoral de Trump insulta Barack e Michelle Obama

© Hans Pennink / Reuters

Um empresário de Buffalo que codirigiu a campanha de Donald Trump em Nova Iorque expressou o desejo de ver o Presidente Barack Obama morrer depois de ter relações com uma vaca e a primeira-dama "reencarnar como um macho".

O falhado ex-candidato republicano a governador Carl Paladino fez os comentários em resposta a um questionário de um jornal de Buffalo, o Artvoice.

A publicação pediu a artistas, atores e empresários que apresentassem a sua lista de desejos para o Novo Ano.

Na sua resposta, Paladino escreveu que esperava que o Presidente morresse de uma doença apanhada enquanto "estivesse a ter relações" com uma vaca.

Acrescentou que também queria ver Michelle Obama "regressar para ser um macho e perder-se no interior do Zimbabué, para viver confortavelmente numa cave com Maxie, o gorila".

Paladino confirmou por telefone e correio eletrónico ter redigido estes comentários.

Lusa

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.