sicnot

Perfil

Mundo

Homem mata seis pessoas num bordel no Brasil

(Arquivo)

© Jorge Adorno / Reuters

Um homem de 27 anos matou seis pessoas num bordel em Jaboticabal, no Estado de São Paulo, no Brasil, porque supostamente a prostituta com quem se encontrava estava com outro, segundo a agência France Presse (AFP).

Na quarta-feira à noite, o homem deslocou-se ao bordel, mas a mulher que procurava não podia recebê-lo, porque estar com outro homem, informou a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo à AFP.

Irritado com a situação, o homem foi buscar um revolver ao seu carro e voltou ao bordel, matando seis pessoas. Após o crime, o homem fugiu a pé.

Os tiros causaram pânico e as prostitutas e os clientes fugiram aos gritos, escondendo-se nos canaviais em redor do bordel, situado numa estrada em Jaboticabal, uma cidade com 70.000 habitantes, situada a 300 quilómetros de São Paulo.

Quando a polícia chegou ao local, o homem já estava longe, mas tinha deixado o seu carro perto do bordel e os documentos estavam no veículo.

O suspeito acabou por se entregar na quinta-feira às autoridades policiais.

Lusa

  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.