sicnot

Perfil

Mundo

Putin diz que libertação de Alepo é "componente importante" para resolução do conflito

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou hoje que a libertação da cidade de Alepo é uma "componente importante" da resolução do conflito na Síria.

"A libertação de Alepo é uma componente importante de normalização plena na Síria e também, creio, na região em geral", disse Putin durante uma reunião com o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, que o informou do fim da operação naquela cidade.

Vladimir Putin sublinhou que a operação militar em Alepo, em particular a parte humanitária, contou com a "participação direta, para não dizer decisiva, pelos militares russos.

Na reunião, Putin pediu ao ministro da Defesa para transmitir aos militares russos as suas felicitações e gratidão pelo trabalho feito na Síria.

Shoigu, por sua vez, salientou que as operações em Alepo foram conduzidas "em estreita colaboração com o Irão e a Síria".

"Agora, deve começar a próxima fase. No meu entender, estamos muito perto de chegar a um acordo para um cessar-fogo total no território da Síria", disse.

O titular da Defesa russo disse que a população civil começou a voltar "ativamente" a Alepo, acrescentando que especialistas russos e elementos locais estão a trabalhar no sentido de repor a eletricidade e água potável na cidade.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) confirmou hoje o fim da operação de retirada de civis e combatentes do leste da cidade síria de Alepo, de onde saíram 35.000 pessoas, segundo os seus registos.

A operação foi concluída esta noite e entre as pessoas retiradas há 100 feridos e doentes graves, segundo um comunicado do Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Estas pessoas foram retiradas com a ajuda do Comité Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho Sírio (SARC) e levadas para zonas rurais da província de Alepo.

O texto refere que a retirada, iniciada na quinta-feira, esteve bloqueada várias vezes devido às negociações entre as diferentes partes no terreno e que esteve ligada a uma operação similar nas localidades de Fua e Kefraya, na província vizinha de Idleb.

Um total de 1.200 pessoas destas localidades, a maioria mulheres, menores e idosos, foram retiradas "temporariamente" em direção a Alepo, indicou o Comité Internacional da Cruz Vermelha.

O Internacional da Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho Sírio não participam nas negociações entre as partes, mas foi-lhes solicitado que atuassem como intermediários "humanitários neutros" para implementar o acordo de retirada.

Lusa

  • IPSS no Seixal alvo de processo e auditoria financeira
    1:47

    País

    A Segurança Social está fazer mais uma inspeção total a uma IPSS, agora na Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal. A fiscalização já recolheu documentação e está agora a passar a pente fino as contas, os serviços e todos os procedimentos da Instituição.

    Investigação SIC - Hoje no Jornal da Noite

    SIC

  • "Vai custar muito a voltarmos à realidade"
    2:22
  • Ministro alemão elogia Centeno que está otimista com o futuro da Zona Euro
    1:13

    Economia

    Mário Centeno diz que a Zona Euro tem um futuro positivo pela frente e acredita que o grupo dos países do euro está alinhado num projeto comum. Declarações do novo presidente do Eurogrupo no final de um encontro com o ministro das Finanças alemão, em Berlim. Peter Altmaier deu Portugal como exemplo de sucesso e reconheceu que foi um erro dividir a Europa entre Norte e Sul durante os anos da crise.

  • Trump mentalmente apto para ser Presidente dos EUA

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos foi na semana passada sujeito aos exames médicos anuais obrigatórios. O médico oficial da Casa Branca informou esta terça-feira que Donald Trump está de "excelente" saúde, não apenas física, mas também mental. As dúvidas sobre as capacidades cognitivas de Trump ganharam força após as revelações feitas no livro "Fire and Fury: Inside the Trump White House".

    SIC

  • Quando o frio até as pestanas congela

    Mundo

    Os termómetros desceram até aos - 67º Celsius em Yakutia, 5.300 quilómetros a Este de Moscovo, na Rússia. Nesta região, os estudantes estão habituados a manter as rotinas, mesmo quando as valores chegam aos - 40º Celsius, mas esta terça-feira as autoridades encerraram escolas e aconselharam a população a ficar em casa, longe do frio que até as pestanas congela.

    SIC