sicnot

Perfil

Mundo

Isabel II dedicou mensagem de Natal "às pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias"

A rainha Isabel II de Inglaterra dedicou a mensagem de Natal "às pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias", como os voluntários, cuidadores e "bons vizinhos".

Isabel II não assistiu hoje, pela primeira vez em 30 anos, à missa de Natal na igreja de Sandringham, no condado de Norfolk, a cerca de 180 quilómetros de Londres, devido a um "forte resfriado", anunciou o Palácio de Buckingham.

"Sua majestade a rainha não assistirá à missa na igreja de Sandringham esta manhã. A rainha continua a restabelecer-se de um forte resfriado", indicou o palácio real num comunicado.

A monarca de 90 anos, líder da Igreja Anglicana, gravou a mensagem de Natal, com um forte conteúdo religioso, há uns dias no palácio de Buckingham, a sua residência oficial, noticiou a Efe.

Na sua única alocução pública não concertada com o Governo, a soberana evitou fazer quaisquer referências à atualidade política do Reino Unido, marcada pela decisão, em referendo, do país se retirar da União Europeia.

"Frequentemente encontrei forças nos meus encontros com pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias", disse Isabel II, que salientou os méritos "daqueles heróis em quem ninguém repara, cuja discreta dedicação os converte em pessoas especiais".

Fazendo um balanço do ano, a chefe de Estado destacou as 67 medalhas alcançadas pelos atletas britânicos nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e as 147 que somaram nos Paralímpicos.

"Muitos dos que as ganharam, receberam inspiração dos atletas de gerações anteriores. Essa inspiração alimentou as suas aspirações, e permitiu-lhes descobrir capacidades das quais apenas tinham consciência".

"Não se ganham medalhas nem se salva vidas para se ser inspirador", disse.

Isabel II destacou o trabalho daqueles que se dedicam a servir os demais e citou Santa Teresa de Calcutá que afirmou, "não podemos todos fazer grandes coisas, mas podemos fazer pequenas coisas com grande um amor".

"Mesmo com a inspiração dos demais, é compreensível que às vezes, pensemos que os problemas do mundo são tão grandes que pouco podemos fazer para ajudar", disse.

A rainha anunciou que esta semana irá deixar de exercer o patronato de diversas organizações caritativas antes de cumprir 91 anos em abril próximo.

Na missa de hoje, em Sandringham, participaram o marido da rainha, o príncipe Filipe de Edimburgo, de 95 anos, assim como o príncipe de Gales, Carlos, herdeiro do trono, e o seu filho mais novo, Henrique, enquanto o filho mais velho, terceiro na linha de sucessão, Guilherme, passou com a família da mulher.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15