sicnot

Perfil

Mundo

Trabalhadora de organização humanitária sequestrada no norte do Mali

Rebecca Blackwell

As autoridades francesas confirmaram o sequestro da líder da organização não governamental "Save The Children", Sophie Petronin, no sábado, na região de Gao, no norte do Mali, anunciou hoje a agência France Presse.

"As autoridades francesas, em colaboração com as autoridades do Mali, estão totalmente mobilizadas para encontrar e libertar, o mais rapidamente possível, a compatriota", afirmou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês, Romain Nadal Orsay, citado pela AFP.

A mulher, de nacionalidade franco-suiça, foi sequestrada pelas 17:00, indicaram fontes locais do Mali no sábado à agência Efe, sem fornecer mais informações sobre a identidade da trabalhadora ou as circunstâncias do rapto.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros acrescentou, em comunicado, que está em contacto com a família de Sophie Petronin, que trabalhou naquela região do Mali, onde fundou aquela organização humanitária para ajudar as crianças que sofrem de desnutrição.

Gao, a maior cidade do norte do Mali, é uma das zonas mais inseguras do país, que escapa ao controlo do Governo central e onde operam vários grupos extremistas locais que atacam com frequência o exército e as forças da Organização das Nações Unidas (ONU) na zona (MINUSMA).

A organização Control Risks, especializada na evolução e nível de segurança no mundo, publicou no mês passado um relatório que colocou o Mali entre os países com alto nível de risco e onde há elevada percentagem de crimes, sequestros e roubos a turistas e habitantes.


Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC