sicnot

Perfil

Mundo

ONU denuncia aumento das deportações de migrantes nos Balcãs

© Marko Djurica / Reuters

As deportações ilegais de migrantes que tentam alcançar a Europa ocidental através da designada "Rota dos Balcãs" aumentaram nas últimas semanas, advertiu esta segunda-feira o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Cerca de 1.000 pessoas do Médio Oriente, Ásia e África "foram expulsas apenas ao longo da Rota dos Balcãs... mais do que anteriormente", referiu Mirjana Milenkovska, porta-voz na Sérvia do ACNUR, citada pela agência noticiosa France-Presse.

Centenas de milhares de migrantes e refugiados optaram pela rota dos Balcãs, a partir da Grécia e através da Macedónia e Sérvia, Croácia e Hungria, para tentar atingir a Europa ocidental, até este trajeto ter sido praticamente encerrado a partir de março.

Em 17 de dezembro, "uma família síria com sete pessoas, incluindo uma criança de dois anos, uma rapariga de 16 anos e duas mulheres quase congelaram após terem sido deixadas numa floresta com 11 graus negativos para caminharem em direção à Bulgária num percurso de cerca de um quilómetro", disse a ativista.

"A família estava registada em Belgrado e a caminho de um centro para refugiados, quando foram retirados do autocarro por uma unidade do exército ou da polícia que apreenderam os seus documentos", assinalou Gordan Paunovic, do grupo Info Park, que fornece ajuda aos refugiados.

Este grupo familiar foi eventualmente salvo por um responsável policial de uma cidade nas proximidades e que foi alertado por ativistas, acrescentou Paunovic.

O Centro de Belgrado para os direitos humanos (BCHR), que representa a família, referiu que o motorista do autocarro confirmou a informação.

O ministro da Defesa sérvio, Zoran Djordjevic, negou qualquer envolvimento do exército neste incidente.

Cerca de 7.000 migrantes estão atualmente na Sérvia. A maioria está alojada em 13 centros de acolhimento oficiais, enquanto 1.000 estão dispersos pela baixa de Belgrado, e muitos sem alojamento, disse Milenkovska.

Cerca de 109 pessoas terão sido deportadas em novembro para a Macedónia a partir do centro de trânsito para migrantes em Presevo, junto à fronteira comum.

"Todos regressaram a Belgrado e contaram-nos a mesma história: foram acordados às 04:00 da manhã, colocados numa carrinha da polícia e conduzidos para um campo no meio de uma floresta perto da fronteira com a Macedónia", assegurou Paunovic.

Membros da Associação macedónia de jovens advogados (MYLA), que fornece ajuda legal aos migrantes na Macedónia, também "registou casos de pessoas que foram enviadas para a Macedónia, apesar de terem documentos de asilo registados na Sérvia".

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.