sicnot

Perfil

Mundo

Presidente argentino afasta ministro das Finanças

© JAMES LAWLER DUGGAN / Reuters

O ministro das Finanças da Argentina, Alfonso Prat-Gay, responsável por toda a área económica, foi demitido pelo Presidente, Mauricio Macri, informou esta segunda-feira o chefe de gabinete, Marcos Peña.

"O presidente Macri fez uma alteração na equipa governamental e pediu a demissão do ministro Prat-Gay", explicou Peña, acrescentando que serão nomeados dois ministros para o substituir, Luis Caputo, nas questões orçamentais, e o economista Nicolás Dujovne, nas Finanças.

Luis Caputo foi o representante do Governo argentino nas negociações com os chamados "fundos abutres", que se recusaram a aceitar a reestruturação da dívida argentina depois da crise de 2001 e se envolveram num litígio que se arrastou na justiça durante 10 anos.

Esta é a primeira remodelação governamental desde que Macri subiu ao poder há um ano, após 12 anos de governos de esquerda.

A Argentina, que tem estado em recessão, adotou em 2016 duras reformas económicas.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.