sicnot

Perfil

Mundo

Exército e oposição acordam cessar-fogo na Síria

© Saad AboBrahim / Reuters

O Exército da Síria anunciou que vai suspender todas as operações militares a partir da meia-noite desta quinta-feira, depois do anúncio da Rússia sobre o acordo alcançado entre o Governo e a oposição relativamente a um cessar-fogo.

"O comando geral das forças armadas anuncia uma suspensão completa de todas as hostilidades em território sírio a partir das 00:00 de 30 de dezembro", lê-se num comunicado difundido esta quinta-feira em Damasco.

O documento ressalva, no entanto, que o cessar-fogo exclui os combates contra o Estado Islâmico e o ramo sírio da Al-Qaida, a antiga Frente Al-Nosra.

A Coligação Nacional Síria, a principal força da oposição, também já veio dar o seu apoio ao acordo, num comunicado em que manifesta "concordância com o acordo" e em que "apela a todas as partes para que o cumpram".

Segundo o porta-voz desta entidade política baseada na Turquia, os grupos rebeldes incluindo o poderoso Ahrar al-Sham e as fações do Exército do Islão assinaram o acordo, embora nenhum destes grupos tenha confirmado formalmente a assinatura.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou esta quinta-feira, durante uma intervenção na televisão, que o regime sírio e os rebeldes assinaram um cessar-fogo e acordaram começar conversações de paz, no seguimento de negociações mediadas pela Rússia e pela Turquia durante os últimos meses.

De acordo com Vladimir Putin, as autoridades de Damasco e a maioria da oposição armada assinaram um documento sobre um cessar-fogo na Síria e também um anúncio sobre a sua disposição para começar as conversações de paz.

"Foram assinados três documentos; o primeiro é um documento entre o Governo da Síria e a oposição armada para um cessar-fogo no território da Síria", disse Putin durante um encontro com os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros.

"O segundo documento é um conjunto de medidas para verificar o cessar-fogo, e o terceiro documento é um anúncio da disposição das partes para começarem as conversações de paz", acrescentou o líder russo.

O acordo agora divulgado surge depois de o Governo da Siria ter conseguido recuperar a segunda cidade do país, Alepo, do controlo dos rebeldes, naquele que foi o mais duro golpe para a oposição desde que a guerra começou.

O acordo será o primeiro não só a ser mediado pela Turquia, mas também a ter uma incidência nacional desde a trégua de setembro, que durou uma semana, até vários incidentes violentos terem feito cair o cessar-fogo.

Uma outra trégua tinha sido alcançada em fevereiro, sendo ambos mediados pelos Estados Unidos e pela Rússia.

A Rússia é um dos importantes apoios do Presidente da Síria, Bashar al-Assad, e está a intervir militarmente no conflito desde setembro do ano passado.

Apesar de apoiarem partes diferentes no conflito, e das relações entre os dois países terem piorado depois da Turquia ter abatido um avião russo no ano passado, Ancara e Moscovo têm trabalhado cada vez mais próximos na Síria, e em conjunto mediaram o cessar-fogo em Alepo que permitiu, já este mês, que os últimos rebeldes e civis tenham podido sair da cidade.

Mais de 310 mil pessoas morreram neste conflito que começou em março de 2011 com protestos contra o Governo de Assad.

Lusa

  • Putin diz que cessar-fogo na Síria é "frágil"
    0:54

    Mundo

    O presidente da Rússia garante que tudo fará para garantir que o cessar-fogo na Síria seja respeitado e resulte. Vladimir Putin avisou no entanto que acordo ainda que positivo e "um esforço notável", é bastante "frágil".

  • Putin anuncia cessar-fogo na Síria

    Mundo

    O Presidente russo Vladimir Putin anunciou hoje um acordo de cessar-fogo entre Damasco e a oposição armada na Síria. Rússia e Turquia serão responsáveis por monitorizar as tréguas. A informação foi também confirmada pelo chefe da diplomacia turca.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52