sicnot

Perfil

Mundo

Jornalista turco detido por mensagens nas redes sociais

© Murad Sezer / Reuters

O jornalista de investigação turco Ahmet Sik foi detido esta quinta-feira pela polícia, devido ao conteúdo das mensagens que tem publicado nas redes sociais, anunciou o próprio.

Na sua conta na rede social Twitter, Ahmet Sik escreveu ontem à noite: "Estou a ser detido, vão levar-me ao procurador por um tweet."

A detenção foi igualmente noticiada pela agência de notícias estatal Anadolu, segundo a qual o jornalista foi detido sob acusações de ter insultado o Estado, os militares e a polícia e de ter feito propaganda terrorista.

Autor de vários livros e membro do Sindicato dos Jornalistas turco, Ahmet Sik foi detido durante um ano, em 2011-2012, a propósito de uma obra sobre o movimento liderado pelo líder islâmico Fethullah Gülen, na altura apreendida e banida pelas autoridades.

A detenção de Ahmet Sik acontece na altura em que o romancista Asli Erdogan e outros trabalhadores de um jornal pró-curdo estão prestes a ser julgados em tribunal sob acusações de apoio aos rebeldes curdos, considerados terroristas pelo regime de Ancara.

A perseguição e detenção de jornalistas, escritores e outros intelectuais tem sido uma constante na Turquia, desde a fracassada tentativa de golpe de Estado registada em julho.

Nos últimos seis meses, as autoridades turcas detiveram 1.656 pessoas por alegado apoio a organizações terroristas e insultos às autoridades nas redes sociais. Outras dez mil pessoas estão a ser investigadas pelas mesmas acusações, segundo dados do próprio governo.

A situação na Turquia foi considerada pela organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras como responsável pelo aumento do número de jornalistas presos em 2016, mais 22 por cento do que em 2015.

O balanço anual da organização, divulgado no dia 13, refere que, desde julho, o número de jornalistas presos quadruplicou na Turquia, atualmente "a maior prisão para jornalistas profissionais" do mundo.

"Em geral, basta fazer uma crítica ao poder ou ter certa empatia com o movimento [do religioso Fethullah] Gullen ou com o movimento político curdo para um jornalista ser enviado para a prisão, sem que a Justiça considere necessário provar o seu envolvimento em atividades criminosas", denunciaram os Repórteres Sem Fronteiras.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.