sicnot

Perfil

Mundo

Ministro russo diz que equipamentos do avião que caiu estavam a funcionar "anormalmente"

© Maxim Shemetov / Reuters

O ministro russo dos Transportes disse esta quinta-feira que os equipamentos do avião militar que caiu no domingo no Mar Negro estavam a funcionar "anormalmente", mas sublinhou ser ainda cedo para avançar com causas definitivas para o acidente.

"É óbvio que o equipamento estava a funcionar anormalmente. Por que aconteceu cabe aos especialistas analisar", disse o ministro Maxim Sokolov aos jornalistas, acrescentando que as conclusões preliminares provavelmente serão apenas conhecidas em janeiro.

Um militar russo disse entretanto que a análise feita aos registos áudio do avião revelaram que não houve explosão a bordo".

As Autoridades russas anunciaram esta quinta-feira que as equipas de salvamento estão a terminar os esforços para recuperar os corpos dos militares russo vítimas do acidente aéreo.

Diversas partes do avião russo TU-154, que se despenhou na madrugada de domingo no Mar Negro com 92 pessoas a bordo, foram detetadas a 27 metros de profundidade.

"Partes do avião foram descobertas a 27 metros de profundidade a cerca de uma milha náutica (1,8 quilómetros) das costas", declarou uma porta-voz da equipa de salvamento em Sochi, Rimma Tchernova.

O Tu-154 do ministério da Defesa russo despenhou-se dois minutos e 44 segundos após a sua descolagem da estação balnear de Sochi quando se dirigia para a Síria com 92 pessoas a bordo, incluindo oito membros da tripulação.

Lusa

  • Novo regime dos recibos verdes "acaba com as injustiças dos escalões"
    1:10
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.