sicnot

Perfil

Mundo

Piloto automático da Tesla "viu" acidente dois segundos antes de acontecer

O sistema Autopilot de um carro da Tesla terá previsto um acidente à sua frente, antes de este acontecer. O vídeo publicado esta terça-feira no Twitter mostra o carro, numa autoestrada na Holanda, atrás de dois veículos, que acabam por colidir um com o outro.

Um representante da Tesla confirmou à CNBC que o alarme ouvido no vídeo, mesmo antes do acidente, é o som de aviso de colisão do piloto automático. O piloto automático da Tesla não é vidente, mas tem algumas características que podem ter ajudado o condutor a evitar problemas.

Através de um comunicado publicado em setembro, a Tesla explicou que o Autopilot trabalha com um radar que tem a habilidade de "saltar", deixando ver não apenas o que está logo diante de si, mas também o que está mais à frente.

A explicação leva a crer que o radar detetou a carrinha preta a travar e o carro vermelho a não conseguir fazê-lo a tempo.

  • Morte em carro com piloto automático
    1:11

    Mundo

    Duas pessoas morreram depois de um carro da Tesla ter embatido contra uma árvore e explodido, no estado norte-americano de Indiana. A empresa diz que é pouco provável que o carro estivesse no modo "piloto automático" quando o acidente aconteceu.

  • Cabras sapadores na prevenção de incêndios florestais
    2:42

    País

    Há vários regimentos de cabras sapadoras pelo país que, este ano, vão ajudar na prevenção de incêndios florestais. Este é o caso de um regimento em Amieira do Tejo, no concelho de Nisa. Tem pouco mais de 200 cabras que vão destruindo o mato, diariamente, em zonas demarcadas pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e, a maioria, perto de estradas. Por cada hectar intervencionado, o produtor recebe, no primeiro ano, 120 euros. Pelo país devem existir cerca de 50 iniciativas do género.

  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.