sicnot

Perfil

Mundo

Turquia e Rússia preveem cessar-fogo na Síria antes do ano novo

© Omar Sanadiki / Reuters

A Turquia e a Rússia estão a planear implementar um cessar-fogo em todo o território sírio antes do ano novo, afirmou esta quinta-feira o ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Cavusoglu, citado pela AFP.

O cessar-fogo pode ser implementado "a qualquer momento", disse o ministro ao canal de televisão A Haber, um dia depois de a Turquia e a Rússia terem anunciado um acordo.

"Esperamos obter isso antes do ano novo", disse.

Na quarta-feira, a agência turca Analu anunciou que a Turquia e a Rússia chegaram a um acordo de cessar-fogo com Damasco e oposicionistas para todo o território sírio.

Caso a trégua seja respeitada, o regime de Bashar Al-Assad compromete-se a iniciar negociações com a oposição em Astana, no Cazaquistão, sob a mediação da Rússia e da Turquia.

Segundo o acordo, as negociações contam com a presença de todas as forças da oposição a Damasco, exceto os grupos considerados terroristas.

Neste sentido, as organizações políticas curdas: PYD, Partido da União Democrática e as Unidades de Proteção do Povo, que combatem os extremistas do Estado Islâmico, no norte da Síria, podem ser excluídos das negociações por serem apontados como terroristas pelo governo de Ancara.

O acordo foi anunciado duas semanas depois de a Turquia e da Rússia terem iniciado os primeiros contactos para o cessar-fogo na cidade de Alepo.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15