sicnot

Perfil

Mundo

Porta-voz do MNE da Rússia diz que medidas de Obama servem para desunir

Porta-voz do MNE da Rússia diz que medidas de Obama servem para desunir

As reações à decisão de Vladimir Putin sobre as sanções dos EUA à Rússia já se começam a ouvir. A porta voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que a decisão teve em conta os sentimentos dos americanos. Maria Zakharova sublinhou ainda que as medidas de Obama servem para desunir os povos numa época que devia ser de celebração e união com a chegada do novo ano.

  • Putin recusa expulsar diplomatas dos EUA e aguarda pela posse de Trump
    2:16

    Mundo

    A Rússia não vai expulsar nenhum diplomata dos Estados Unidos, em retaliação pela expulsão de 35 russos por alegada interferência nas presidenciais norte-americanas. A sugestão chegou a ser feita pelo chefe da diplomacia russa, mas foi recusada por Vladimir Putin, que prefere esperar pela posse de Donald Trump.

  • "Trump já vai dever um favor a Putin"
    0:43

    Mundo

    Luís Costa Ribas diz que Donald Trump quer ser amigo de Putin e não apoia as sanções dos Estados Unidos à Russia. O correspondente da SIC diz ainda que quando Trump chegar à Casa Branca já vai estar em dívida com a Rússia.

  • Putin espera por Trump para resolver sanções
    1:54

    Mundo

    A Rússia não vai expulsar nenhum diplomata norte americano em resposta às sanções anunciadas pelos Estados Unidos. A sugestão chegou a ser feita pelo ministério dos negócios estrangeiros de Moscovo mas foi suspensa por Vladimir Putin que prefere esperar pela tomada de posse de Donald Trump. A diplomacia russa tinha anunciado a expulsão de 35 diplomatas norte-americanos da Rússia e ordenado o encerramento da escola anglo-americana em Moscovo.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".