sicnot

Perfil

Mundo

Arábia Saudita executou 153 pessoas em 2016

© Suhaib Salem / Reuters

A Arábia Saudita executou 153 pessoas em 2016, segundo uma contagem feita pela agência France Presse (AFP) a partir de anúncios oficiais.

O reino ultraconservador, que se rege por uma versão rigorosa da "sharia" (lei islâmica), é um dos países que mais recorre à pena capital, aplicada em casos de terrorismo, homicídio, violação, assalto à mão armada e tráfico de droga.

A 2 de janeiro, 47 pessoas foram executadas por terrorismo, entre as quais o dignitário e opositor xiita saudita Nimr al-Nimr, cuja execução provocou uma crise com o Irão.

Em 2015, também foram executadas na Arábia Saudita 153 pessoas, segundo a contagem da AFP, número sem precedentes no reino nos 20 anos anteriores.

A China, o Irão, o Paquistão, a Arábia Saudita e os Estados Unidos foram os cinco países onde ocorreram o maior número de execuções de condenados à morte em 2015, de acordo com um relatório da Amnistia Internacional.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Obama encurta pena de delatora do Wikileaks
    1:45
  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.