sicnot

Perfil

Mundo

Arábia Saudita executou 153 pessoas em 2016

© Suhaib Salem / Reuters

A Arábia Saudita executou 153 pessoas em 2016, segundo uma contagem feita pela agência France Presse (AFP) a partir de anúncios oficiais.

O reino ultraconservador, que se rege por uma versão rigorosa da "sharia" (lei islâmica), é um dos países que mais recorre à pena capital, aplicada em casos de terrorismo, homicídio, violação, assalto à mão armada e tráfico de droga.

A 2 de janeiro, 47 pessoas foram executadas por terrorismo, entre as quais o dignitário e opositor xiita saudita Nimr al-Nimr, cuja execução provocou uma crise com o Irão.

Em 2015, também foram executadas na Arábia Saudita 153 pessoas, segundo a contagem da AFP, número sem precedentes no reino nos 20 anos anteriores.

A China, o Irão, o Paquistão, a Arábia Saudita e os Estados Unidos foram os cinco países onde ocorreram o maior número de execuções de condenados à morte em 2015, de acordo com um relatório da Amnistia Internacional.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05
  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00