sicnot

Perfil

Mundo

Letreiro de Hollywood vandalizado

Letreiro de Hollywood vandalizado

Uma brincadeira trocou este domingo o icónico símbolo de Hollywood, colocando o cartaz do Parque Griffith a dizer 'Hollyweed', numa referência à legalização do uso recreativo de marijuana na Califórnia, aprovada em referendo em novembro.

A polícia estava a tentar descobrir a identidade do homem que, vestido todo de preto, foi apanhado pelas câmaras de segurança a pendurar dois panos por cima das letras 'O', transformando-as em 'E', e assim criando a palavra Hollyweed, que contém 'weed', a designação popular para erva.

A brincadeira pode ter sido uma 'piscadela de olho' aos eleitores da Califórnia, que em novembro aprovaram a Proposta 64, que legalizou o uso da marijuana para fins recreativos, escreveu a agência de notícias espanhola Efe.

Esta droga leve, aliás, pode agora ser consumida em toda a costa leste dos Estados Unidos, no seguimento de um conjunto de alterações à lei, que agora permite a utilização desta droga.

As fotografias rapidamente se espalharam pelas redes sociais durante a tarde, antes de as autoridades tirarem os panos e o cartaz voltar a dizer 'Hollywood'.

A brincadeira, apesar de mediática, não é exatamente original, já que há exatamente quarenta anos, um estudante universitário alterou o cartaz exatamente da mesma maneira.

Com Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.