sicnot

Perfil

Mundo

Israel condena funcionário da ONU a sete meses de prisão por ajudar o Hamas

© Baz Ratner / Reuters

Um tribunal de Israel condenou esta quarta-feira um funcionário palestiniano da ONU a sete meses de prisão por ter ajudado o movimento radical islâmico Hamas, que governa a Faixa de Gaza, informou o seu advogado.

A detenção, em julho, de Wahid Borsh, um engenheiro que trabalha para o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD), suscitou polémica e levou as Nações Unidas a manifestar a sua preocupação e a anunciar um inquérito interno.

Esta quarta-feira, um tribunal israelita considerou Borsh, 38 anos, culpado de ter "involuntariamente prestado serviços a uma organização ilegal", o Hamas, que Israel considera uma "organização terrorista", segundo a sua advogada, Leah Tsemel.

Contando o tempo que já cumpriu, Borsh deve ser libertado a 12 de janeiro.

A sentença baseou-se num acordo, confirmado pelo Ministério da Justiça israelita, o qual prevê um período de liberdade condicional de oito meses.

Borsh, engenheiro a trabalhar com o PNUD desde 2003 na demolição de edifícios destruídos nos sucessivos conflitos na Faixa de Gaza, foi acusado "de ter usado o cargo para fornecer assistência material às atividades terroristas e militares do Hamas".

Em 2015, segundo Israel, Borsh participou na construção, com recursos do PNUD, de um molhe para as atividades navais do Hamas, intervindo junto do PNUD para que fosse dada prioridade, nos projetos de reabilitação, a zonas habitadas por membros do Hamas.

A advogada frisou no entanto hoje que o cliente foi condenado por "ajudar involuntariamente" os islamitas "movimentando escombros".

"A acusação argumentou que (Borsch) devia ter verificado se isto podia beneficiar o Hamas", disse Tsemel.

Lusa

  • Israel responde às críticas de John Kerry
    1:29

    Mundo

    Não tardou a resposta de Israel ao chefe da diplomacia dos Estados Unidos. O Governo de Telavive considera que não têm razão de ser as críticas de John Kerry, que avisou que a construção de mais colonatos impede uma solução, e que a origem do problema não são os colonatos mas a oposição palestiniana a um Estado judaico. Indiferente à resolução da ONU e às críticas do chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Israel aprovou a construção de mais um colonato em Jerusalém oriental.

  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.