sicnot

Perfil

Mundo

Rainha da Suécia acredita que o Palácio é assombrado por fantasmas

© Darren Ornitz / Reuters

A rainha Silvia da Suécia acredita que o Palácio Real é assombrado. Segundo a rainha, ela partilha o Palácio de Drottningholm com "pequenos amigos... fantasmas".

"É muito excitante. Mas não fico assustada", ela disse num documentário, que será transmitido pela televisão estatal da Suécia, esta quinta-feira.

Perto de Estocolmo, o edifício é a residência permanente da rainha e do seu marido, o rei Carlos XVI Gustavo. "Às vezes sinto que não estou completamente sozinha", a rainha disse aos realizadores, insistindo que os seus alegados colegas de casa são "muito amigáveis".

A princesa Cristina - irmã do rei - apoiou a teoria da rainha, dizendo que a casa tem muita energia.

Um website sueco brincou com o assunto ao dizer que "os bravos caçadores de fantasmas amadores" poderia visitar o palácio, de modo a comprovar os rumores.

© TT News Agency / Reuters

A rainha Silvia casou com o rei Carlos há 40 anos, é filha de um empresário alemão e de uma brasileira.

No livro "The Royal Year" de 2015, Silvia confessou que estava muito sozinha durante os seus primeiros anos como rainha e que era difícil viver num palácio dominado por homens.

A rainha foi internada no hospital antes do Natal, depois de sentir tonturas, mas deram-lhe alta dois dias depois.

  • Atrás das Câmaras em Mirandela
    2:36

    Atrás das Câmaras

    A SIC está a percorrer o pais para ouvir as historias dos municípios e dos eleitores. Até às autárquicas, o programa opinião pública dá lugar ao Atrás das Câmaras, que hoje está em Mirandela, no distrito de Bragança, como conta a repórter Catarina Lázaro.

    Hoje na SIC e SIC Notícias

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • "Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo"
    0:39

    Orçamento do Estado 2018

    O deputado e economista do PS Paulo Trigo Pereira defende que o desagravamento fiscal que o Governo quer pôr em marcha é "moderado". Em entrevista ao Público e à Renascença, o socialista diz que é preciso realismo e que é uma "alquimia" mexer ao mesmo tempo nas carreiras, pensões e rendimentos dos trabalhadores.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15