sicnot

Perfil

Mundo

Trump e Guterres mantiveram "discussão muito positiva"

© Lucas Jackson / Reuters

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou esta quarta-feira por telefone com António Guterres, novo secretário-geral da ONU, numa "discussão muito positiva" sobre as relações do país com a organização, referiram fontes oficiais.

O contacto telefónico ocorreu após as diversas e duras críticas emitidas por Trump na sequência da resolução sobre colonatos israelitas em territórios palestinianos ocupados, aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU com a decisiva abstenção dos EUA.

Na conferência de imprensa diária, um porta-voz do secretário-geral da ONU indicou que o contacto telefónico "de apresentação" permitiu a Trump e Guterres manterem uma "discussão muito positiva" sobre as relações entre as Nações Unidas e os Estados Unidos.

"O secretário-geral disse que espera estabelecer outra conversa com o Presidente" logo que assuma o cargo, acrescentou o porta-voz, Farhan Haq.

A conversa também foi confirmada por fontes da equipa de Trump, que confirmaram estarem previstos novos contactos quando o magnata nova-iorquino ocupar a Casa Branca em 20 de janeiro.

No decurso de uma conversa telefónica com jornalistas, Sean Spicer, o porta-voz de Trump, disse por sua vez que os Estados Unidos pretendem uma "reforma" nas Nações Unidas para que a organização seja "mais eficiente", precisou a agência noticiosa Efe.

Em 28 de dezembro Trump afirmou na Flórida, onde passou o Natal, que a ONU "não está à altura" do seu potencial e que "provoca problemas em vez de os resolver".

"Quando se viram as Nações Unidas a resolver problemas? Não o faz, causa problemas", afirmou o Presidente eleito.

Dias antes, Trump tinha já considerado na sua conta oficial na rede social Twitter que apesar do seu "grande potencial" a ONU se tornou "apenas um clube para as pessoas se juntarem, conversarem e passarem um bom bocado". "Tão triste!", acrescentou.

Estas críticas surgiram após a aprovação pelo Conselho de Segurança, em 23 de dezembro, de uma resolução que condena a contínua construção por Israel de colonatos em territórios palestinianos.

Trump manifestou uma lealdade total com Israel e antes da reunião do Conselho de Segurança tinha pedido que os Estados Unidos exercessem o seu direito de veto para evitar a aprovação da resolução.

Os EUA são o país que fornece mais fundos para o funcionamento das Nações Unidas, para além acolher a principal sede da organização, em Nova Iorque.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.