sicnot

Perfil

Mundo

Trump e Guterres mantiveram "discussão muito positiva"

© Lucas Jackson / Reuters

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou esta quarta-feira por telefone com António Guterres, novo secretário-geral da ONU, numa "discussão muito positiva" sobre as relações do país com a organização, referiram fontes oficiais.

O contacto telefónico ocorreu após as diversas e duras críticas emitidas por Trump na sequência da resolução sobre colonatos israelitas em territórios palestinianos ocupados, aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU com a decisiva abstenção dos EUA.

Na conferência de imprensa diária, um porta-voz do secretário-geral da ONU indicou que o contacto telefónico "de apresentação" permitiu a Trump e Guterres manterem uma "discussão muito positiva" sobre as relações entre as Nações Unidas e os Estados Unidos.

"O secretário-geral disse que espera estabelecer outra conversa com o Presidente" logo que assuma o cargo, acrescentou o porta-voz, Farhan Haq.

A conversa também foi confirmada por fontes da equipa de Trump, que confirmaram estarem previstos novos contactos quando o magnata nova-iorquino ocupar a Casa Branca em 20 de janeiro.

No decurso de uma conversa telefónica com jornalistas, Sean Spicer, o porta-voz de Trump, disse por sua vez que os Estados Unidos pretendem uma "reforma" nas Nações Unidas para que a organização seja "mais eficiente", precisou a agência noticiosa Efe.

Em 28 de dezembro Trump afirmou na Flórida, onde passou o Natal, que a ONU "não está à altura" do seu potencial e que "provoca problemas em vez de os resolver".

"Quando se viram as Nações Unidas a resolver problemas? Não o faz, causa problemas", afirmou o Presidente eleito.

Dias antes, Trump tinha já considerado na sua conta oficial na rede social Twitter que apesar do seu "grande potencial" a ONU se tornou "apenas um clube para as pessoas se juntarem, conversarem e passarem um bom bocado". "Tão triste!", acrescentou.

Estas críticas surgiram após a aprovação pelo Conselho de Segurança, em 23 de dezembro, de uma resolução que condena a contínua construção por Israel de colonatos em territórios palestinianos.

Trump manifestou uma lealdade total com Israel e antes da reunião do Conselho de Segurança tinha pedido que os Estados Unidos exercessem o seu direito de veto para evitar a aprovação da resolução.

Os EUA são o país que fornece mais fundos para o funcionamento das Nações Unidas, para além acolher a principal sede da organização, em Nova Iorque.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40
  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.