sicnot

Perfil

Mundo

Explosão de carro armadilhado faz pelo menos 11 mortos na Síria

© Sana Sana / Reuters

Pelo menos onze pessoas morreram e 35 outras ficaram feridas na explosão de um carro armadilhado na localidade síria de Yabla, perto da cidade de Latakia (norte), controlada pelas forças governamentais.

A informação sobre o número de vítimas mortais é da agência de notícias oficial síria SANA. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), organização com sede no Reino Unido, diz que morreram 15 pessoas, a maior parte deles civis, alertando para a possibilidade de este número vir a subir devido ao estado de gravidade de alguns dos feridos.

A explosão aconteceu nas imediações do estádio municipal Al Baladi, onde segundo a SANA os "terroristas fizeram explodir um veículo" carregado com "material explosivo de grande potência".

O OSDH - que tem elementos no terreno na Síria - acrescentou que o veículo foi detonado por um terrorista suicida.

A explosão também causou estragos avultados em casas e lojas dos arredores, no bairro de Al Imara, que costuma ter muito movimento de pessoas e de veículos, acrescentou a SANA.

Em maio, a localidade de Yabla foi sacudida por quatro explosões que mataram 45 pessoas, segundo as autoridades sírias. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos disse que morreram nesses atentados 97 pessoas e não 45.

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou os atentados de maio através da agência de notícias Amaq, vinculada ao grupo.

Até ao momento nenhuma fação reivindicou a autoria do ataque desta quinta-feira. Yabla fica na região da Síria onde reside a minoria alauita.

Yabla também fica perto da base aérea de Hmeimim, usada pela aviação russa para lançar as missões de bombardeamento em território sírio.

Lusa

  • Guerra na Síria fez pelo menos 50 mil mortos em 2016
    1:13

    Mundo

    O Conselho de Segurança da ONU aprovou a resolução da Rússia sobre o acordo de cessar-fogo na Síria. Em noventa por cento do território, as tréguas estão já a ser respeitadas. Só este ano, a guerra civil na Síria provocou pelo menos 50 mil mortos.

  • Rússia e Turquia anunciam cessar-fogo na Síria
    1:44

    Mundo

    A Rússia e a Turquia anunciaram um cessar-fogo para a Síria, exceto nas áreas controladas pelos jihadistas. O acordo não foi ainda reconhecido pelos rebeldes apoiados pelo Ocidente. Rússia e Turquia não se opõem à continuação de Bashar al-Assad como Presidente da Síria, sendo ainda que os turcos acusam os EUA de apoiarem o Daesh e milícias curdo-sírias.

  • Seleção de sub-21 precisa de vencer a Macedónia

    Desporto

    A seleção portuguesa de futebol de sub-21 precisa, hoje, de vencer a Macedónia e de marcar pelo menos quatro golos para poder sonhar ainda com a presença nas meias-finais do Europeu da categoria, que decorre na Polónia.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.