sicnot

Perfil

Mundo

O amendoim pode ser bom para os bebés

Matthew Mead

Os bebés devem consumir alimentos à base de amendoim desde cedo a fim de reduzir o risco de alergia, indicou um novo estudo realizado nos Estados Unidos, divulgado esta quinta-feira pela BBC. Os investigadores dizem que o risco de alergia ao amendoim pode ser evitado em mais de 80% caso haja exposição precoce a este alimento.

O Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos disse que esta revelação foi "um importante passo em frente". Ainda assim, é preciso ter alguns cuidados, sendo um deles não dar amendoins inteiros ao bebé, uma vez que pode causar asfixia.

Nos Estados Unidos os níveis de alergia estão a crescer e, desde 2008, mais do que quadriplicaram. Trata-se de um padrão que ocorre com muita frequência em grande parte do mundo ocidental, bem como na Ásia e África.

Hoje em dia os pais ainda são um pouco céticos em relação à introdução do amendoim na alimentação do bebé, uma vez que no passado foram aconselhados a esperar que a criança chegasse aos três anos de idade.

O estudo indica que:

- As crianças com outras alergias ou eczema grave devem começar com alimentos que contenham amendoim, entre os quatro e os seis meses de idade, com supervisão médica;

- Os bebés com eczema moderado devem ter alimentos que contenham amendoim aos seis meses de idade;

- Aqueles sem eczema ou alergias podem ter comida contendo amendoim livremente introduzida.

Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, disse que espera que "(..) a aplicação generalizada destas orientações por prestadores de cuidados de saúde venham impedir o desenvolvimento da alergia ao amendoim em muitas crianças suscetíveis e, finalmente, reduzir a prevalência da alergia ao amendoim nos Estados Unidos".

Michael Walker, membro da Academia Europeia de Alergia e Imunologia Clínica, diz que "as diretrizes são baseadas em pesquisas médicas sólidas, realizadas no Reino Unido", e que "pais britânicos devem consultar o médico de família, chamando a atenção para as orientações, se necessário, antes de tentar qualquer prevenção da alergia ao amendoim no bebé."

Para sustentar o estudo, Alan Boobis, do Imperial College de Londres, afirma que "a visão anterior de que adiar a introdução de alimentos alergénicos diminui o risco de alergia alimentar é incorreta e a exclusão ou a introdução tardia de alimentos alergénicos específicos podem aumentar o risco de alergia aos mesmos alimentos, incluindo o amendoim."

Relembramos que se trata apenas de um estudo e que várias questões devem ser vistas com o médico de família antes de sujeitar o seu bebé a este ou outro tipo de alimentos.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.